Ainda durante a graduação no DCC ex-aluno cria empresa e se torna um empreendedor de sucesso

Rafael Rodrigues de Paiva formou-se em Ciência da Computação no Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (DCC/UFMG) no início do ano 2000. Sem nenhum conhecimento prévio, obteve toda a base de formação em tecnologia no Departamento. Ao final dos estudos, durante a disciplina de comércio eletrônico, criou com colegas uma ferramenta de pesquisa de comparação de preços, o que também casou com a disciplina de empreendedorismo. Há época, diversos produtos do DCC estavam sendo lançados e sendo incorporados por grandes empresas nacionais e internacionais.

Ao final da graduação, o ex-aluno participou de um projeto de “pré-incubadora”, ambientes que oferecem suporte a empreendedores para transformar suas ideias de negócios em empresas formalizadas juridicamente. Essa iniciativa foi uma parceria entre o DCC e a Fumsoft, uma instituição científica e tecnológica sem fins lucrativos que atua, desde 1992, na indução do desenvolvimento da cadeia produtiva de Tecnologia da Informação (TI) em Minas Gerais. “Foi uma oportunidade ímpar em minha vida, iniciamos a Eteg Technology, empresa criada por mim e outros colegas, logo após sairmos do Departamento, em 2001. Até 2004 construíamos produtos para a área de e-commerce e para ensino musical. Foram anos de desafio e crescimento, sem experiência prévia. Todo aprendizado vivido neste período serviu para percebermos que muito precisávamos estudar para esta jornada empreendedora e o DCC foi fundamental e deu o pontapé inicial para vencermos”, contou Rafael.

Para o ex-aluno, o período em que esteve no DCC, proporcionou que conhecesse os meios para empreender e, além disso, a base do conhecimento tecnológico que adquiriu foram primordiais. “É muito importante para o empreendedor ter a capacidade de se reinventar, a dinâmica do mundo acontece muito rapidamente, e graças a formação que tive no Departamento me trouxe grande facilidade em transitar entre contextos e realidades e entender novas abordagens e processos. O curso proporciona uma base muito sólida e abrangente, o que proporciona amplo espaço para quem deseja trabalhar em qualquer segmento de tecnologia, seja na pesquisa, apoio técnico, empreendedores ou desenvolvimento de produtos e projetos em empresas”, disse.

Dentre diversos momentos importantes vividos dentro do DCC, um dos que mais marcou o Rafael foi o que passou junto ao saudoso professor Christiano Gonçalves Becker, falecido em 2008. De acordo com o ex-aluno, o professor dispensou um apoio fundamental no processo da pesquisa que estava desenvolvendo com os colegas. “Fomos conversar com o professor para explicar a nossa ferramenta, a nossa pesquisa, e ele nos disse que estava sendo iniciado um projeto no Departamento e que a nossa ideia estava totalmente de acordo com o que queríamos fazer. Tínhamos que preencher estruturas e apresentar o que queríamos construir, mas o prazo era naquele dia mesmo, aí foi uma correria danada e submetemos a nossa ideia. Cinco minutos fazem toda a diferença”, relembrou.

O ex-estudante conta que desde o início da Eteg já passou por situações adversas variadas na empresa, mas que em todas a base obtida no DCC o ajudaram a superar. “Consolidamos a empresa como uma software house e pudemos disseminar um pouco da nossa expertise com treinamentos e consultorias. Começamos a trabalhar com processos, tanto para clientes, quanto internamente (MPS.BR). Ganhamos clientes relevantes e desenvolvemos projetos para o mercado financeiro, na área de saúde e governo. Nossa empresa foi considerada uma das 100 melhores empresas para se trabalhar no Great Place to Work (GPTW) , ganhamos prêmios da Qualidade, certificação MPS.BR nível C (participando de um seleto grupo de 50 empresas no Brasil), dentre outros. Posteriormente, voltamos ao projeto inicial para desenvolver produtos e buscar inovação. Nos aprofundamos no mercado de healthcare, com novas soluções na área da saúde e fomos considerados GPTW por três vezes consecutivas”, descreveu. 

Depois de todos os desafios passados e que ainda existem no empreendedorismo, Rafael conta que a Eteg ganhou espaço internacional e que está conseguindo levar as empresas dos clientes à transformação digital, por meio do melhor da tecnologia. “Estruturamos duas novas unidades de negócio – a CX e a Automatização – para garantir os skills e estrutura necessários a estas implementações. Atualmente somos parceiros certificados Zendesk, habilitado a comercializar, implementar e treinar equipes em todo o portfólio Zendesk”, comemora.

Para o professor do DCC Fernando Magno Quintão Pereira, a existência da Eteg é motivo de satisfação para todos do DCC. “A empresa conseguiu prosperar em um momento de muita competitividade no mercado de tecnologia da informação. Empresas surgem o tempo todo, mas poucas de fato crescem e se tornam prósperas. O sucesso da Eteg nesse mercado tão competitivo é uma prova do talento, criatividade e perseverança do Rafael e dos seus colegas. Hoje, já bem estabelecidos no mercado, são um pólo de atração de riquezas para Belo Horizonte. O fato é que empresas como a Eteg acabam sendo um porto seguro para nossos alunos, pois lá encontram empregos sólidos e têm a oportunidade de aprender muito sobre o mercado de trabalho”, conclui.

Saiba mais sobreo o Rafael em suas redes:

https://www.linkedin.com/in/rafaelpaiva/
https://www.facebook.com/rafaelrpaiva
https://instagram.com/rafaelrpaiva17

Veja a série completa