Michele Nogueira, professora do DCC, alerta para cuidados com os golpes eletrônicos no Dia da Internet Segura

Hoje, 8/02, é o Dia da Internet Segura, um movimento que reúne 200 países para alertar os usuários para que utilizem a internet de forma segura. O phishing, por exemplo, é um tipo de golpe eletrônico, caracterizado por tentativas de adquirir dados pessoais de vários tipos: nomes de usuários, senhas, números de cartões de crédito e conta bancária e outras informações de cadastro. Para os fraudadores este roubo é relativamente simples e atinge muitas pessoas ao mesmo tempo. 

Os golpistas desenvolvem peças de e-mail, SMS, aplicativos, fazem sites falsificados ou usam redes sociais para disparar milhões de mensagens por dia, até que algum destinatário distraído abra a mensagem. Compartilhar informações nas redes sociais, abrir links de desconhecidos ou sem conferência de que é um site realmente idôneo, pode colocar em risco não só a vida financeira como a pessoal daqueles que usam a internet diariamente. Atualmente, segundo dados da SaferNet, ONG que atua nos direitos humanos na internet, mais de 170 milhões de pessoas no Brasil foram fraudadas na internet por meio do phishing. Além disso, os crimes mais relatados são: uso indevido de dados pessoais; exposição de imagens íntimas; crimes contra a saúde mental e o cyberbullying. Este último, segundo a ONG, está intimamente ligado ao discurso de ódio. 

A professora do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Minas Gerais (DCC/UFMG), Michele Nogueira Lima, cientista da área de Segurança de Redes, dá dicas para que você proteja seus dados e não caia em golpes, dentre elas:

  • Sempre usar senhas fortes, sem relação com datas de aniversários, nomes de parentes, animais de estimação ou dados pessoais;
  • Sempre ficar atentos a mensagens recebidas;
  • Nunca abrir links desconhecidos, sem a devida atenção e investigação se realmente é verídico;
  • Nunca instalar programas advindos de mensagens de desconhecidos ou sem a devida investigação da idoneidade da mensagem;
  • Muito cuidado com o que compartilha nas redes sociais, dados pessoais, vida privada, locais que frequenta. Tais informações são utilizadas pelos atacantes como fontes para darem golpes.
Estão na foto a professora Michelle Nogueira e os alunos de doutorado em Ciência da Computação José Everaldo de Andrade Júnior e Luis Henrique Cantelli Reis

Repercussão no Jornal Hoje – TV Globo, assista a matéria completa. Veja as postagens feitas no Instagram, Facebook, Linkedin e Twitter.

Acesso rápido

Skip to content