UFMG Talks em casa | Onde andam os seus dados?

Com participação da professora Michele Nogueira.


>> Quarta-feira, 29 de Setembro de 2021 às 19hyoutube.com/tvufmgfb.com/ufmgbr <<

O diário britânico Financial Times publicou na internet uma calculadora curiosa. Ela é capaz de verificar, a partir da interação com o internauta, quanto a indústria multibilionária da informação pode pagar pelos dados pessoais.

Mas não vá achando que o comércio de dados pode render uma boa bolada. Segundo o Financial Times, os dados da maioria das pessoas valem menos do que um dólar – informações básicas como idade, gênero e localização estão na casa dos 0,0005 centavos de dólar. Essa realidade muda quando há interesses mais específicos, como o desejo por um carro novo. Nesses casos, a tabela pode chegar a 0,0021 centavos de dólar. Mas se você tem problemas de saúde, como pressão alta, ansiedade ou uma leve rinite alérgica, o valor tende a crescer.

Com o aumento da conectividade, eleva-se a circulação de informações, afinal, não é de hoje que para muita gente a vida está a alguns cliques. Uma avalanche de dados pessoais circula a cada minuto por meio da internet e os riscos de quebra da privacidade elevam-se da mesma forma. Projeções do mundo da tecnologia indicam um crescimento, em dois anos, de cerca de 10% do tráfego de dados em redes fixas e de quase 30% em redes móveis. Esse é, sem dúvida, um dos legados da pandemia da Covid-19.

Para garantir os direitos e a proteção dos dados pessoais dos brasileiros, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor integralmente a partir de agosto deste ano. Ela exige que as empresas e governos informem aos usuários sobre o tratamento das informações coletadas e prevê sanções para aqueles que não se adequarem às exigências.

Se você ficou curioso, quer fazer o teste para descobrir quanto valem os seus dados e ficar por dentro dos seus direitos, você precisa participar da edição do UFMG Talks em casa. O programa recebe a professora Michele Nogueira, da Ciência da Computação, e o professor Leonardo Parentoni, do Direito, para conversar sobre segurança cibernética e a importância da proteção dos dados.