Site de jogos customizáveis para aprendizado escolar

Ratinhos muito espertos e que viajam pelo mundo para aprender coisas novas. Estes são os Pingos, personagens de uma série de livros infantis que serviram de inspiração para o nome do portal de internet proposto pela dissertação de mestrado PINGO – Um portal de jogos educativos infantis com conteúdo customizável pelo professor, defendida em agosto deste ano no Departamento de Ciência da Computação da UFMG.

A autora do trabalho, Denise Notini, explica que a inspiração para o nome do projeto surgiu na coleção de livros que ela adorava quando era criança. “Eu adorava os livros da série Pingos e aprendi muito com eles. Então me apropriei do nome, que, na minha ­dissertação, passou a significar Portal of Instructional Games Online (Portal Online de Jogos Instrucionais).”

Assim como a série de livros infantis, o site proposto pela estudante também visa ao aprendizado de crianças, mas, neste caso, o processo se dá por meio de jogos educativos que contam com atividades de matemática, português, ciências e outros conteúdos do ensino básico. Segundo Denise, o que diferencia o PINGO de outros sites de jogos educativos é a possibilidade de que os professores customizem as atividades, mesmo que eles não possuam nenhum conhecimento prévio sobre programação de computadores.

“Não existe nada parecido com o PINGO. A interface do site é muito amigável para que o professor faça a entrada de dados no sistema e, assim, adapte o conteúdo dos exercícios segundo seus interesses. Dessa forma, o professor pode mudar um jogo que está hospedado no PINGO para que ele atenda alunos de idades e séries diferentes e para que o conteúdo do jogo acompanhe a matéria que foi ministrada em sala de aula”, diz.

Conteúdo por faixa etária

Os jogos disponíveis no portal PINGO são criados por desenvolvedores especializados na criação de jogos. Depois que o jogo é disponibilizado no site, o professor tem acesso a um formulário onde é possível customizar a atividade.

A pesquisadora explica que em uma atividade de português que tem o objetivo de treinar a ortografia, por exemplo, o professor pode selecionar o nível de dificuldade das palavras que vão aparecer para o aluno. “Dependendo da faixa etária de sua turma, o professor pode alterar o conteúdo, incluindo palavras mais extensas e com ortografia mais difícil”, esclarece.

O site permite ainda acompanhar o desempenho dos alunos a distância. “O professor adiciona o aluno e consegue verificar se ele usou o jogo e que pontuação tirou na atividade. Isso possibilita que o seu desempenho seja facilmente avaliado”, aponta Notini.

Pesquisa em andamento

O portal de jogos educativos PINGO ainda não está finalizado. O site possui apenas dois jogos disponíveis para os professores, mas, segundo Denise Notini, a previsão é que sejam adicionados novos jogos no próximo ano.

“Conseguimos estender a duração do projeto por mais um ano, mesmo depois da dissertação ter sido defendida. Nossa intenção agora é realizar workshops com desenvolvedores de jogos que estejam interessados em participar voluntariamente do projeto. Assim, o site vai oferecer mais opções aos professores”, diz a pesquisadora.

Além do aumento do número de jogos, Denise prevê melhorias no funcionamento do portal. Para isso, ela destaca a necessidade de que sejam realizados testes com crianças, uma vez que o PINGO foi testado e avaliado somente por desenvolvedores de jogos e professores.

“Os professores gostaram muito do portal e da possibilidade de customizarem os jogos. Agora sentimos a necessidade de realizar avaliações da interação de crianças com o portal, uma vez que elas serão as principais usuárias”, diz a pesquisadora. Apesar de concebido para crianças, Denise Notini ressalta a viabilidade de que o portal seja usado também na educação de adultos. “Nossa vontade é que o site seja utilizado por professores de escolas públicas e alcance o maior número de estudantes possível. Como nos dias atuais alunos de todas as idades estão familiarizados com a internet, o PINGO aparece como uma plataforma de ensino muito funcional”, conclui.

Dissertação: PINGO – Um portal de jogos educativos infantis com conteúdo customizável pelo professor
Autora: Denise Notini Nogueira
Orientadores: Raquel Oliveira Prates e Luiz Chaimowicz
Defendida em agosto de 2013, no Departamento de Ciência da Computação

 

Fonte: Boletim UFMG Nº 1842 – Ano 40 – 28.10.2013

Texto: Luana Macieira 

Foto: Sarah Dutra