Inovar e especializar para proteger: o papel de um Cientista de Dados em Cibersegurança

qua, 09/06/2021 - 16:15
Português, Brasil
Professora Michele Nogueira escreve mensalmente na coluna Atualidades em Cibersegurança que estimula empresas e pessoas ao esclarecimento quanto à segurança cibernética

Todos sabem os riscos das redes para os dados de pessoas físicas e jurídicas e para que tenham a real segurança em transações, diálogos e demais interações realizadas por meio virtual. Assim, tratar o tema com ciência, responsabilidade, técnica, competência, conhecimento, rapidez, atenção e minúcia é fundamental para a proteção de dados atacados por inimigos cada vez mais aprimorados e afrontosos.

Para tanto, muitas dúvidas surgem quanto ao real papel dos cientistas de dados em cibersegurança. O que faz, o que é, quais dados trabalha, como e em que atua, dentre outros questionamentos. Para esclarecer este e outros pontos, além de transcorrer didaticamente sobre o tema, a professora e cientista do Departamento de Ciência da Computação (DCC), Michele Nogueira, escreveu a matéria "Cientista de Dados em Cibersegurança: A Cereja do Bolo!'' para a SBC Horizontes

Durante o texto, Nogueira conta a história do personagem fictício João da Silva que, em busca de um emprego, desvenda inquietudes e esclarece vários questionamentos e constata que a extrema velocidade na criação de dados torna as redes e seus riscos cada vez maiores. Por outro lado, a segurança e garantia da privacidade de clientes ou das próprias empresas são cruciais.

Em um chamado às empresas e àqueles que desejam trabalhar com a Ciência de Dados em Cibersegurança, a professora discorreu, com o auxílio do cientista João, sobre a necessidade de especialização dos profissionais e, também, do fundamental investimento das empresas que almejam ter tecnologia de ponta, qualidade, inovação e eficiência em segurança nas redes para si e seus clientes.

O texto completo está disponível na página da SBC Horizontes.