Professor Emérito Roberto Bigonha, atual Diretor Presidente do BH.tec, discutirá a interação entre empreendedores e pesquisadores

Quando: 
sexta-feira, 24 Agosto, 2018 - 10:00
Palestrante: 
Roberto Bigonha, Professor Emérito do DCC/UFMG e atual Diretor Presidente do BH.tec
Resumo: 

PARQUE TECNOLÓGICO DE BELO HORIZONTE
Dia ​​​24 de agosto de 2018
A partir das 10:00, no Auditório 3 - ICEx 

O Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), associação privada de caráter científico, tecnológico, educacional e cultural, sem fins lucrativos. A sua criação foi resultado de um arranjo institucional, formado pela associação dos cinco principais agentes engajados no processo de inovação tecnológica no Estado: a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Governo do Estado, a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte (PBH), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (SEBRAE-MG) e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). Essa composição reflete o princípio da “hélice tríplice” (Academia/Governo/Empresas) essencial ao sucesso de parques tecnológicos no mundo todo.

A ideia de se implantar um parque tecnológico em Belo Horizonte surgiu em 1992, visando a diversificação produtiva de sua região metropolitana, a agregação de valor aos serviços aqui prestados e a geração de riqueza a partir do conhecimento produzido por nossas universidades. Em maio de 2002, o Conselho Universitário da UFMG aprovou a realização de estudos de viabilidade do parque tecnológico a ser instalado em área de seu campus na Pampulha e, em julho de 2004, aprovou a cessão de uso de um terreno para o BH-TEC.

O Estatuto do BH-TEC estabelece que seu objetivo principal é contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social de Belo Horizonte, de Minas e do Brasil, mediante a estruturação e gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de potencializar as atividades de pesquisa, a introdução de inovações e a transferência de tecnologia, incrementando o envolvimento de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento com projetos de alta tecnologia e, ao mesmo tempo, contribuir para alavancar pesquisas e desenvolvimentos conjuntos, a partir da aproximação entre a universidade.

Nesta palestra, serão apresentados a infraestrutura do BH-TEC, seu modus operandi, o perfil da empresas nele instaladas, os resultados obtidos pelos investimentos, e discutir oportunidades para interação entre empreendedores e pesquisadores.

Fonte: Site do ICEx

Short bio: 
Professor Emérito da UFMG. Diretor-Presidente do Parque Tecnológico de Belo Horizonte, MG (BH-TEC). Associado da Sociedade Brasileira de Computação. Possui graduação em Engenharia Química pela Escola de Engenharia (1971), mestrado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) e doutorado em Ciência da Computação - University of California, Los Angeles (1981). Professor Titular da UFMG Aposentado. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Linguagens de Programação e Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: compiladores, métricas de software, modularidade e semântica formal. Coordenador do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Informática da UFMG (1988-1999). Chefe do Departamento de Ciência da Computação da UFMG (1987-1989, 2000-2002, 2009-2011, 2011-2013). Coordenador do Bacharelado em Ciência da Computação da UFMG (1981-1983). Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFMG (1983-1985, 1991-1993). Coordenador da Área de Ciência da Computação na CAPES (1995-1997). Coordenador Adjunto da Área de Ciência da Computação na CAPES (1993-1995). Coordenador da Câmara de Ciências Exatas e dos Materiais da Fapemig (10/2004-02/2005). Recebeu o Prêmio Nacional de Informática, Categoria Software, em 1988, patrocinado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, Modata e Fundação Roberto Marinho, e o prêmio Newton Faller da SBC (2009). Coordenador do XI Seminário Integrado de Software e Hardware da SBC (1984). Coordenador do V Simpósio Sobre Desenvolvimento de Software Básico da SBC (1985). Coordenador do V Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software (1990). Coordenador da Comissão Especial de Engenharia de Software da SBC (1990-1991). Coordenador do I Simpósio Brasileiro de Linguagens de Programação (1996). Coordenador da Comissão Especial de Linguagens de Programação da SBC (2007-2008). Conselheiro da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) (1985-1989, 1991-1993, 1997-2001, 2007-2011, 2017-2021). Diretor de Educação da SBC (1989-1991, 1993-1995. 1995-1997). Diretor de Regulamentação da Profissão da SBC (2001-2007). Diretor de Relações Profissionais da SBC (2011-2013, 2013-2015, 2015-2017). Presidente da Comissão de Ética da SBC (2012-2015).
Professor envolvido: 
Roberto da Silva Bigonha
Sala: 
Aud.3