Laboratório de Segurança da Informação, Criptografia, Privacidade e Transparência

Atualmente, lidamos com a criptografia em diversos momentos do nosso dia, mesmo que não percebamos. Ao mesmo tempo, as tecnologias de monitoramento também vêm avançando gradativamente, o que leva ao crescimento de preocupações acerca da nossa privacidade. Será que os dados que produzimos na internet estão seguros? Estas são algumas das inquietações que movimentam os trabalhos desenvolvidos no Laboratório de Segurança da Informação, Criptografia e Privacidade (InSCryP) do Departamento de Ciência da Computação.

Criado, oficialmente, no ano de 2016, pelo professor Jeroen van de Graaf, o laboratório já desenvolvia atividades de pesquisa antes mesmo de possuir um espaço físico, quando era chamado de Crypta (Laboratório de Criptografia Teórica e Aplicada). Duas linhas sustentam as pesquisas realizadas pelos dois professores, seis alunos de graduação, dois mestrandos e um doutorando que fazem parte do InSCryP: protocolos criptográficos e quantificação matemática de privacidade.

No campo dos protocolos criptográficos, uma das pesquisas desenvolvidas pelo grupo trata da segurança em votações não presenciais, pela internet, buscando dar credibilidade aos processos. Também há um projeto em desenvolvimento sobre autenticação de smartphones, onde dois aparelhos gravam durante cinco segundos o som ambiente e, assim, por meio da similaridade do que foi gravado, realizam a autenticação. Além disso, uma parte das pesquisas está voltada para a aleatoriedade confiável e outra para os protocolos de comunicação anônima.

Por outro lado, os trabalhos desenvolvidos no âmbito da quantificação matemática de segurança visam à caracterização precisa dos conceitos de vazamento de informação, integridade de dados e privacidade. Há um projeto de pesquisa com colaboração internacional para desenvolvimento de métricas de informação expressivas o suficiente para prover garantias de segurança em cenários diversos. Há também outro projeto em desenvolvimento para a modelos de medição de vazamento de informação em contextos em que a informação sigilosa evolui ao longo do tempo, seguindo padrões (como por exemplo, a posição de um indivíduo que se locomove em uma cidade). Estes trabalhos são desenvolvidos com o ferramental provido pelas áreas como métodos formais, teoria da informação, teoria da decisão.

O laboratório dialoga com a disciplina de Protocolos Criptográficos, uma área do conhecimento essencial para os trabalhos que envolvem a internet. Nos últimos cerca de 30 anos, a criptografia passou a ser utilizada em diversas ações que realizamos ao longo do dia: a utilizamos quando vamos acessar uma página da internet, acessar uma rede wi-fi ou realizar uma chamada ao telefone, por exemplo. Nos próximos anos, então, a relação entre criptografia e privacidade deve ser cada vez mais explorada, estando o laboratório já envolvido com as temáticas, a partir de diversas abordagens.

O InSCryP desenvolve trabalhos em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). No âmbito internacional, existem colaborações com os professores Alejandro Hevia (Universidad de Chile) e Rene Peralta (Yale University).

Acesse o site do laboratório para saber mais
Entrevista: Professor Dr. Jeroen van de Graaf

Equipe do INSCRYPT

COORDENADORES

Jeroen van de Graaf

  jvdg.ufmg@gmail.com  ICEx/DCC, sala 6317, +55 (31) 3409-5836   www

PROFESSORES

Mário Sérgio Alvim

  msalvim@dcc.ufmg.br  ICEx/DCC, sala 4317, +55 (31) 3409-5845   www