Clodoveu Davis


 Professor  Adjunto


Bolsa produtividade CNPq nível   2


Doutor, UFMG, Brasil, 2000

  clodoveu@dcc.ufmg.br   www
 ICEx/DCC, sala 6329, +55 (31) 3409-7534
Áreas de pesquisa

Informações resumidas do Currículo Lattes


Currículo Lattes atualizado em 06/09/2017

Formação acadêmica

Doutorado em Ciência da Computação na Universidade Federal de Minas Gerais em 2000
Mestrado em Ciência da Computação na Universidade Federal de Minas Gerais em 1992
Graduado em Engenharia Civil na Universidade Federal de Minas Gerais em 1985

Projetos de pesquisa em andamento

2014 a AtualGeodesign e Modelagem Paramétrica da Ocupação Territorial: novos recursos das geotecnologias para gestão da paisagem da Regional Pampulha, Belo Horizonte
O processo de Geodesign apresenta uma framework (estrutura de trabalho com etapas e processos metodológicos) composta por etapas de aplicação de modelos que visam a caracterização, análise, proposição, simulação e ajustes na tomada de decisões da ocupação do território. O processo é bastante flexível à adaptação para as aplicações dos modelos às realidades territoriais e culturais, pois é necessário projetar a paisagem de modo contextualizado às necessidades locais. A modelagem paramétrica da paisagem urbana é composta pela aplicação de geotecnologias para visualização e tomada de decisões sobre os envelopes máximos que delimitam as edificações no espaço urbano, a partir de parâmetros urbanísticos. É proposta a framework do Geodesign para gerenciar o processo de promoção da visualização e participação cidadã na tomada de decisões sobre a paisagem resultante na aplicação dos parâmetros reguladores, através de modelos de representação, processos, avaliação, mudança, impacto e, futuramente, de decisão. São discutidas e apresentados exemplos de aplicação de duas ferramentas de suporte ao à visualização e simulação da representação tridimensional, que passam pelas etapas de Planning Support Systems (PSS), Volunteered Geographic Information (VGI), Land Change Modeling (LCM) e Visualização (City Engine). É escolhido como estudo de caso de aplicação a região da Pampulha em Belo Horizonte, como exemplos do state-of-design que ilustra os conceitos discutidos como state-of-art, e traduzem realidades brasileiras que são protótipos das necessidades da gestão da paisagem urbana no país. Apoio CNPq: Processo 471089/2014-1 , Chamada MCTI/CNPQ/MEC/CAPES Nº 22/2014;.
Integrantes: Ana Clara Mourão Moura (coordenador), Clodoveu Augusto Davis Junior, Karla Albuquerque de Vasconcelos Borges, Junia Lúcio de Castro Borges, Piotr Jankowski, Michele Campagna, Braulio Magalhaes Fonseca, Rogerio Palhares Zschaber de Araujo, Grazielle Anjos Carvalho, Stefano Pensa, Camila Marques Zyngier, Karen Katleen Lourenço, Elena Massala, Lucas Vieira Magalhães.
2009 a AtualINWEB - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para a Web
O objetivo do INCT para Web é desenvolver modelos, algoritmos e novas tecnologias que permitam aumentar a integração da Web com a sociedade. Além disso, pretende-se tornar mais efetiva e mais segura a distribuição de informação na Web, e mais eficazes e eficientes os seus serviços, de forma a proporcionar um vetor de mudanças sociais e econômicas no País. O programa do Instituto compreende atividades relacionadas à pesquisa, à formação de recursos humanos e à transferência de conhecimento para a sociedade e para o setor empresarial.
Integrantes: Virgilio Augusto Fernandes Almeida (coordenador), Clodoveu Augusto Davis Junior, Alberto Henrique Frade Laender, Arnaldo de Albuquerque Araújo, Altigran Soares da Silva, Carlos Alberto Heuser, José Palazzo Moreira de Oliveira, Marcos André Gonçalves, Jussara Marques de Almeida, Nivio Ziviani, Edleno Silva de Moura, Berthier Ribeiro-Neto, Wagner Meira Junior, Renato A. C. Ferreira, Dorgival Guedes Neto, Mirella Moura Moro, Raquel O. Prates, Gisele Lobo Pappa, João M. B. Cavalcanti, Leandro Krug Wives, Renata M. Galante, Viviane M. Orengo, Cristina Duarte Murta, Evandrino G. Barros, Fabiano Botelho.
2009 a AtualDicionários toponímicos orientados por ontologias para recuperação de informação geográfica local
A Web é uma fonte importante de conteúdo geográfico. A recente criação e disseminação de ferramentas de mapeamento online, globos virtuais, e outros tipos de serviços baseados em localização tem atraído muita atenção para a utilidade da informação relacionada a lugares para uma grande parcela dos usuários da Web em suas rotinas diárias, com grandes implicações comerciais, econômicas e sociais. Páginas da Web freqüentemente contêm indicações de localização geoespacial sob a forma de nomes de lugares, endereços, códigos postais e números de telefone. As pessoas são capazes de reconhecer e utilizar essas referências para atribuir significado geográfico às páginas, como parte do tedioso e demorado processo de filtragem dos resultados fornecidos por máquinas de busca, tentando resolver suas demandas por informação. O reconhecimento automático de características geográficas contidas em páginas e documentos da Web ainda é uma tarefa difícil. O presente projeto pretende desenvolver recursos de ontologia para aperfeiçoar fontes de nomes de lugares utilizáveis na recuperação de informação geográfica na Web. As principais fontes de nomes de lugares online atualmente são os gazetteers, dicionários toponímicos constituídos como versões digitais dos índices de topônimos geralmente encontrados em Atlas e publicações convencionais semelhantes. Gazetteers como Alexandria e GeoNames fornecem elementos de informação para o reconhecimento de nomes em escala global. No entanto, os gazetteers atuais possuem limitações conceituais que reduzem sua utilidade para sistemas de recuperação geográfica na Web, em particular a falta de nomes de lugares intra-urbanos. O objetivo geral do projeto é investigar extensões aos dicionários toponímicos (gazetteers) atuais, com base em ontologias, visando melhorar sua capacidade de suportar atividades de recuperação de informação geográfica na Web.
Integrantes: Clodoveu Augusto Davis Junior (coordenador).
2008 a AtualInfra-estruturas de informação espacial: acesso móvel e distribuído a múltiplas fontes de informação
Grande parte do papel integrador que a Computação exerce em relação a outras áreas de pesquisa decorre dos recursos desenvolvidos na área ao longo do tempo para armazenar, acessar, manipular, gerenciar, integrar e analisar grandes volumes de dados, gerando informação e conhecimento. No entanto, não existe na atualidade um equilíbrio entre esses tipos de ações que envolvem dados. Por exemplo, a geração de dados em grande volume é possível com o uso de instrumentos científicos capazes de armazenar resultados de medições continuamente. Vários satélites de observação da Terra estão atualmente em operação, produzindo dados continuamente a um custo cada vez menor. Muitos desses dados estão disponíveis de forma gratuita ou a custos baixos através da Internet, que revolucionou os meios de divulgação. As máquinas de busca na Web tornaram mais fácil localizar fontes de dados de interesse, popularizando o uso desses recursos entre a população, mesmo considerando todas as barreiras que, em geral, vem sendo chamadas de "exclusão digital". Por outro lado, a integração e manipulação de dados provenientes de diversas fontes, visando o apoio a determinados tipos de aplicação ou visando a execução de análises, são atividades que ainda não são realizadas com facilidade. Barreiras sintáticas (formato de armazenamento e publicação dos dados) e semânticas (parâmetros, características e pressupostos usados na modelagem e coleta dos dados) representam um desafio considerável à integração plena de fontes de dados produzidas por instituições diferentes, com propósitos diferentes, mas que são de interesse de alguma comunidade de pesquisa. Também o público em geral poderia se beneficiar, caso fosse possível, da integração entre dados de múltiplas fontes para compor uma visão de seu interesse particular ou local. O objetivo desta proposta é investigar arquiteturas tecnológicas para o projeto, construção e utilização de infra-estruturas de informação espacial (IIE).
Integrantes: Clodoveu Augusto Davis Junior (coordenador).
2008 a AtualInfraestruturas de dados espaciais: colaboração voluntária para criação e manutenção de acervos de informação geográfica
A quantidade e a variedade de dados geográficos disponíveis na Web para uso pelo cidadão comum têm aumentado rapidamente. Desde a introdução do Google Earth, em 2004, e do Google Maps, em 2006, tem crescido o interesse por ferramentas que permitam que as pessoas localizem geograficamente pontos de seu interesse e que ofereçam serviços baseados em posições geográficas, tais como localização de endereços e roteamento de veículos. Tamanho interesse dos usuários da Web em todo o mundo pode resultar em outras possibilidades. É crescente a percepção que indivíduos comuns, conectados à Web e equipados com software adequado (e talvez com algum hardware de baixo custo), podem ser importantes fatores para a criação, disseminação e manutenção de informação geográfica. A partir de algumas experiências recentes, é possível imaginar que muitas pessoas se disporiam a contribuir, de forma voluntária e sem expectativa de pagamento, para a criação de novos dados e para a correção de erros porventura existentes nos dados geográficos publicados. Assim, os desafios envolvidos nesta pesquisa envolvem a concepção de soluções apoiadas em contribuições voluntárias para solucionar ou reduzir problemas clássicos da área, como os significativos custos de atualização e a crescente demanda por detalhamento local. Os custos de formação de novos bancos de dados geográficos não são mais viáveis para muitas agências governamentais de mapeamento, e tem surgido em seu lugar a noção da formação de uma "colcha de retalhos" cartográfica, com as agências estabelecendo padrões mínimos e os esforços de atualização ocorrendo pontualmente, por iniciativa de outros órgãos públicos ou empresas. Existe a possibilidade de incorporação do cidadão comum a essa equação, fornecendo (1) indicações de pontos em que o mapeamento disponível está mais discrepante da realidade, (2) dados concretos levantados in situ, com o auxílio de instrumentos de baixo custo como receptores GPS de navegação e câmeras digitais, (3) infor
Integrantes: Clodoveu Augusto Davis Junior (coordenador), João Carlos Tavares da Silva, Rafael Odon de Alencar, Ivre Marjorie Ribeiro Machado.
2006 a AtualInfra-estruturas de dados espaciais e sistemas de informação geográficos de acoplamento fraco
O compartilhamento de grandes volumes de informação espacial vem se tornando cada vez mais importante. Sistemas de informação geográficos (SIG) deixaram de ser apenas ferramentas ligadas a projetos para se tornarem gerenciadores de recursos informacionais corporativos. Aspectos sociais da informação geográfica também emergiram como recursos fundamentais para a ação governamental. Com isso, os SIG estão se tornando o núcleo de ambientes computacionais que envolvem grandes quantidades de usuários, espalhados em várias localidades, e acessando grandes volumes de dados. O estabelecimento da localização geográfica como meio de ligação entre conjuntos de dados de origens aparentemente diversas, que é uma das promessas originais dos SIG, faz muito mais sentido se considerarmos um ambiente computacional em que os dados são livremente compartilhados de maneira integrada. Não é essa a prática atual. As organizações que têm a intenção de compartilhar dados normalmente se deparam com problemas ligados a formatos de codificação e armazenamento, parâmetros de qualidade, limitações de conteúdo, e outras. Este projeto propõe o estudo de uma nova arquitetura para o desenvolvimento de aplicações geográficas, na qual dados são providos por diferentes serviços de informação conectados em rede, formando uma infra-estrutura de dados espaciais. Esta noção é importante para a realidade brasileira, pois percebe-se uma grande necessidade de compartilhamento da informação geográfica disponível. A cada ano, governos municipais, estaduais e diversas áreas do Governo Federal investem na formação de bancos de dados espaciais, porém o resultado desse investimento é em geral subutilizado. Assim, o objetivo do projeto é investigar arquiteturas tecnológicas para infra-estruturas de dados espaciais, visando promover o acesso distribuído a informação geográfica disponível em múltiplas fontes, para uso em aplicações variadas.
Integrantes: Clodoveu Augusto Davis Junior (coordenador).

Projetos de desenvolvimento em andamento

Veja todos os projetos no Currículo Lattes

Últimas publicações

Artigos em periódicos


Trabalhos completos em congressos

Could data from location-based social networks be used to support urban planning?
2017. 7th International Workshop on Location and the Web (LocWeb 2017).
Integration of data sources on traffic accidents
2016. XVII Brazilian Symposium on Geoinfomatics (GeoInfo 2016).
The impact of academic mobility on the quality of graduate programs
2016. 5th International Workshop on Mining Scientific Publications (WOSP 2016).
Taxonomia e Desafios de Recomendação para Coleta de Dados Geográficos por Cidadãos
2015. XXX Simpósio Brasileiro de Bancos de Dados (SBBD).
Crowdsourcing for geodesign: opportunities and challenges for stakeholder input in urban planning
2015. 27th International Cartographic Conference.
Crowdsourced information from Tweets during the WorldCup in Brazil: A theme search
2015. Changing Cities II: Spatial, Design, Landscape & Socio-economic Dimensions.
Análise Espaço-Temporal da Colaboração Acadêmica em Programas de Pós-Graduação em Ciência da Computação
2015. XXX Simpósio Brasileiro de Bancos de Dados.
Comparative performance evaluation of relational and NoSQL databases for spatial and mobile applications
2015. 26th International Conference on Database and Expert Systems Applications (DEXA 2015).
Geocoding of traffic-related events from Twitter
2015. XVI Brazilian Symposium on Geoinformatics (GeoInfo 2015).
GeoSQL+: Um Aplicativo Online de Apoio ao Aprendizado de SQL com Extensões Espaciais
2015. XVI Brazilian Symposium on Geoinformatics (GeoInfo 2015).
Desafios no Mapeamento de Esquemas Conceituais Geográficos para Esquemas Físicos Híbridos SQL/NoSQL
2015. XVI Brazilian Symposium on Geoinformatics (GeoInfo 2015).
Geovisualization of the Academic Trajectories of Brazilian Researchers
2014. XV Brazilian Symposium on Geoinformatics.
OMT-G Designer: a Web tool for geographic database modeling
2014. 8th International Workshop on Semantic and Conceptual Issues in GIS (SeCoGIS 2014).
Reconstrução da geometria de itinerários de ônibus a partir de descrições textuais
2014. XV Brazilian Symposium on Geoinformatics.
GeoNoSQL: banco de dados geoespacial em NoSQL
2014. Computer on the Beach.
Mapeamento participativo de opiniões sobre o uso de dinheiro público
2014. XV Brazilian Symposium on Geoinformatics.
The Semantic Pixel
2014. XV Brazilian Symposium on Geoinformatics.
Integration of linked data sources for gazetteer expansion
2014. 8th International Workshop on Geographic Information Retrieval.
Strepitus: um aplicativo para coleta colaborativa de dados sobre ruído urbano
2013. IV Workshop de Computação Aplicada à Gestão do Meio Ambiente e Recursos Naturais (WCAMA 2013).
Modeling, Characterization and Recommendation of Multimedia Web Content Services
2013. IEEE International Symposium on Multimedia.
Modelagem, Caracterização e Recomendação em Serviços de Conteúdo Web Multimídia
2013. 19th Brazilian Symposium on Multimedia and the Web (WebMedia 2013).
A Framework for Web and Mobile Volunteered Geographic Information Applications
2013. XIV Brazilian Symposium on GeoInformatics.
Linked Geospatial Data: desafios e oportunidades de pesquisa
2013. XIV Brazilian Symposium on GeoInformatics.
Expansão do conteúdo de um gazetteer: nomes hidrográficos
2012. XIII Simpósio Brasileiro de Geoinformática (GeoInfo 2012).
Acessibillidade em mapas urbanos para portadores de deficência visual total
2012. XIII Simpósio Brasileiro de Geoinformática (GeoInfo 2012).
Observatório do Trânsito: sistema para detecção e localização de eventos de trânsito no Twitter
2012. 27th Brazilian Symposium on Databases (SBBD 2012).
GeoSQL: um ambiente online para aprendizado de SQL com extensões espaciais
2012. XIII Simpósio Brasileiro de Geoinformática (GeoInfo 2012).
Geocodificação de endereços urbanos com indicação de qualidade
2012. XIII Simpósio Brasileiro de Geoinformática (GeoInfo 2012).
Traffic Observatory: a system to detect and locate traffic events and conditions using Twitter
2012. 5th ACM SIGSPATIAL International Workshop on Location-Based Social Networks.
Geotecnologias aplicadas a projeções domiciliares intraurbanas por quadras de Belo Horizonte 2010 a 2030
2012. XVIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais.

Resumos expandidos em congressos

Identificação de Perfis de Torcedores no Twitter
2013. Computer on the Beach.
A new way to think about demographic projection and urban sprawl scenarios in small areas
2013. XXVII International Union for the Scientific Study of Population (IUSSP) International Population Conference.
Building a Research Social Network from an Individual Perspective
2011. ACM/IEEE Joint Conference on Digital Libraries.
Mapeamento de relacionamentos em rede armazenados em bancos de dados espaciais para documentos XML
2010. Simpósio Brasileiro de Bancos de Dados.
Aplicação de redes neurais artificiais (RNA) na análise e classificação de áreas cafeeiras em imagens de satélite
2010. 36o. Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras.

Resumos em congressos

Monitoração em GPS: Integrando J2ME, GPS e Web Wireless
2004. XII Seminário de Iniciação Científica.
Um sistema de tratamento e classificação de imagens de satélites
1990. III Simpósio Brasileiro de Computação Gráfica e Processamento Digital de Imagens.
Desenvolvimento de software de otimização estrutural para concreto armado
1984. Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica em Engenharia.

Veja todas as publicações no Currículo Lattes

Orientações em andamento

Mestrado

Guilherme Henrique Nascimento. Computação urbana (a definir). Início: 2017. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Lucas Saraiva Ferreira. Dados geográficos em saúde pública (a definir). Início: 2017. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Fabrício Ferreira da Silva. Computação urbana e mobilidade (a definir). Início: 2016. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Edson Barboza de LIma. Enriquecimento semântico em infraestruturas de dados geográficos. Início: 2016. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Pedro Magalhães Fortini. Computação urbana e mobilidade (título provisório). Início: 2016. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Danilo da Silveira Figueira. Arquitetura de alto desempenho e escalabilidade para álgebra de mapas. Início: 2016. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Rodrigo Wenceslau Torres. Sistemas de recomendação para Urban Computing (título provisório). Início: 2015. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Guilherme Vezula Mateveli. Recomendação em Location-based Social Networks baseados em dados Crowdsourced/sensed (título provisório). Início: 2015. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Salatiel Ribeiro dos Santos. Integração de dados geográficos sobre acidentes de trânsito (título provisório). Início: 2015. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Natália Gonçalves Machado. Recomendação aplicada em Crowdsourcing/sensing e Location Based Social Networks (LBSN) (título provisório). Início: 2015. Universidade Federal de Minas Gerais (Co orientador)

Doutorado

Tiago França Melo de Lima. Modelagem e Simulação Computacionais da Dinâmica Espaço-Temporal da Dengue em Escala Intra-Urbana. Início: 2015. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Rodrigo Smarzaro. Contexto espacial na análise de redes sociais online. Início: 2014. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Bruno Rabello Monteiro. Recognition of the geographic scope of documents using semantically-enriched gazetteers. Início: 2012. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)

Veja todas as orientações no Currículo Lattes