UFMG On-line

Subscrever feed UFMG On-line
Novidades sobre a UFMG, informações diversas e eventos
Atualizado: 2 horas 5 minutos atrás

Campus Pampulha sediará seminário internacional sobre arte, educação e autobiografia

4 horas 40 minutos atrás

Anna Rocha
Estão abertas as inscrições para a primeira edição do seminário internacional Diálogos sobre arte e educação: narrativas de si e aprendizagem biográfica, que será realizado nos dias 6 e 7 de abril, nos auditórios Álvaro Apocalipse, da Escola de Belas Artes (EBA), e Luiz Pompeu, da Faculdade de Educação da UFMG. O evento pretende estimular o desenvolvimento de pensamentos artísticos e educacionais que tenham como base os gêneros biográficos e autobiográficos.

O seminário é aberto a pesquisadores, professores, alunos de artes e de educação e demais interessados nas discussões sobre (auto)biografia. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas por meio deste link.

A discussão sobre possibilidades de desenvolver uma educação artística e educar pela arte contará com as reflexões do professor Peter Alheit, da Universidade Georg-August de Goettingen, Alemanha, e de pesquisadores brasileiros sobre o tema, como os professores Eugenio Horta e Lucia Pimentel, da EBA.

Durante os dois dias de evento, serão realizadas conferências, roda de conversa, mesas redondas e performances sobre Pesquisa autobiográfica e dimensões de formação: artes, narrativas e conhecimento de si; Narrativas e alteridades; Pesquisa autobiográfica: dimensões epistemológicas e teórico-metodológicas; Experiências com a pesquisa biográfica.

A promoção é do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMG, do Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente (Gestrado) e do Grupo de Pesquisa Ensino de Arte e Tecnologias Contemporâneas da EBA.

Veja a programação do evento.

Categorias: UFMG

Pesquisa mostra que Brasil não cumpre meta de conservação de espécies ameaçadas de extinção

4 horas 44 minutos atrás

Fotos: Foca Lisboa / UFMG

Alberto Teixido e Fernando Silveira: meta está longe de ser batida

A Convenção da Diversidade Biológica, tratado internacional do qual o Brasil é signatário, prevê que os países participantes devem, até 2020, armazenar 75% das espécies de sua flora ameaçadas de extinção. Pelo acordo, elas têm de ser guardadas em coleções, como bancos de sementes e jardins botânicos.

Grupo de pesquisa do Departamento de Botânica do ICB verificou o desempenho do Brasil no cumprimento da meta e concluiu que esse processo se dá vagarosamente. Apenas 26 das cerca de duas mil espécies brasileiras que correm risco de desaparecer estão formalmente incluídas em bancos de sementes ou jardins botânicos no país. A conclusão está no artigo Gaps in seed banking are compromising the GSPC’s Target 8 in a megadiverse country, publicado em março, na revista Biodiversity and Conservation.

"Isso corresponde a apenas 1,3% da meta nacional, restando mais de 73% para serem alcançados nos próximos quatro anos, que é o limite imposto pela Convenção da Diversidade Biológica. Para nossa surpresa, não detectamos aumento no número de espécies inseridas em bancos de sementes nos últimos tempos, o que indica clara falta de interesse e organização política por parte das instituições brasileiras", afirma o professor Fernando Silveira, do Departamento de Botânica, um dos autores do artigo.

A Convenção da Diversidade Biológica conta com mais de 200 países signatários. Seu objetivo é garantir o futuro da biodiversidade mundial, uma vez que desastres naturais e guerras põem em risco a sobrevivência de plantas ameaçadas. Para realizar o estudo, o grupo de pesquisadores consultou, por cerca de seis meses, bancos de dados sobre a flora ameaçada e jardins botânicos, verificando quais espécies já estavam armazenadas para proteção. As informações foram fornecidas pelo Millennium Seed Bank, da Inglaterra, pelos jardins botânicos brasileiros e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que mantém, em Brasília, o maior banco de sementes da América Latina.

"Constatamos que o Brasil já possui jardins botânicos e um bom banco de sementes – o da Embrapa, que conta com mais de 120 mil amostras – onde as espécies ameaçadas poderiam ser conservadas. O que falta é fazer as instituições de pesquisa brasileiras, como as universidades, se articularem para privilegiar, em seus estudos e coletas, as espécies ameaçadas", afirma o pesquisador Alberto Teixido, pós-doutorando no ICB e também autor do estudo.

Além da constatação de que o Brasil não deve bater a meta de conservação das espécies, o artigo projeta uma estimativa de como o objetivo poderia ser alcançado. Segundo Teixido, seriam necessários investimentos de R$ 10 milhões para que o país alcançasse o objetivo."O Brasil também precisa mudar algumas estratégias. Não basta colocar as sementes das espécies ameaçadas nos bancos, é preciso que grupos de pesquisa avaliem suas condições de armazenamento e descubram quais devem ser priorizadas", sugere o pesquisador.

O estudo também apresenta diretrizes para adoção de políticas públicas imediatas que ajudem o país a preservar as espécies de plantas brasileiras em risco. "Ele pode contribuir para a formação de uma rede de conservação nacional. O Ministério do Meio Ambiente precisa planejar investimentos em longo prazo. Provavelmente não bateremos a meta de 2020, mas precisamos trabalhar em busca do seu cumprimento", afirma Alberto Teixido.

Estabilidade do ecossistema
O professor Fernando Silveira explica que os bancos de sementes funcionam como "Arcas de Noé", servindo de ferramenta de preservação das plantas localizadas em locais afetados por tragédias naturais e guerras. "Com o desastre de Mariana, por exemplo, algumas espécies ameaçadas podem ter-se perdido para sempre. Se tivessem sido depositadas em bancos, essas sementes não teriam desaparecido", argumenta.

Um exemplo a ser destacado, segundo o professor do ICB, é o do maior banco de sementes do mundo. Localizado na Noruega, reúne amostras de sementes de espécies vegetais importantes para a atividade econômica de vários países. Em 2015, a Síria, devastada por uma guerra civil, pediu a retirada de sementes de trigo, que eram plantadas em regiões do país destruídas durante os bombardeios.

"Foi a primeira vez que um país solicitou a retirada das sementes do banco norueguês, e, graças a ele, a Síria pôde replantar essa variedade de trigo. As 'Arcas de Noé' de sementes protegem as espécies, visto que muitas plantas têm genes com emprego não só na alimentação, mas também na produção de fármacos e na agricultura. Manter a biodiversidade de plantas disponíveis é essencial para a estabilidade do ecossistema", conclui Fernando Silveira.


Amostras de sementes: bancos e jardins botânicos funcionam como 'Arcas de Noé', preservando espécies de regiões afetadas por guerras e catástrofes

Artigo: Gaps in seed banking are compromising the GSPC’s Target 8 in a megadiverse country
Autores: Alberto Lopez Teixido, Peter Toorop, Udayangani Liu, Guilherme Ribeiro, Lisieux Fuzessy, Tadeu Guerra e Fernando Augusto de Oliveira Silveira

(Luana Macieira / Boletim 1969)

Categorias: UFMG

Ceale Debate aborda inserção das mulheres na literatura nacional

4 horas 46 minutos atrás

Proex/UFMG

No mês que marca a luta das mulheres por direitos e conquistas, o Ceale Debate, projeto do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Faculdade de Educação traz a literatura como tema em seu primeiro evento do ano. A professora Constância Lima Duarte [foto], da Faculdade de Letras da UFMG, foi convidada para abordar a baixa inserção das mulheres no cenário letrado nacional e apresentar as principais escritoras e obras do país e suas influências na educação.

O evento será realizado na próxima terça-feira, 28, as 19h30, no Auditório Neidson Rodrigues da FaE, no campus Pampulha. As inscrições, gratuitas, podem ser realizadas por meio de preenchimento de formulário on-line. As vagas são limitadas.

"Se examinamos os principais manuais de história literária do século 19 e das primeiras décadas do século 20, pode-se pensar que as mulheres brasileiras não produziram literatura e que estiveram completamente ausentes do cenário letrado nacional. Mas isso não é bem verdade. Muitas publicaram ensaios, poemas, ficção e dramaturgia e ainda assim foram excluídas da história", destaca Constância, que apresentará algumas escritoras desse período e comentará suas obras. Estudiosa da escrita feminina, Constância organizou o dicionário ilustrado Imprensa feminina e feminista no Brasil, lançado no ano passado pela Editora UFMG.

Também na terça-feira, o Ceale Debate recebe a 3ª Conferência Anual de Literatura e Leitura Literária do Grupo de Pesquisa do Letramento Literário.

Todos os debates da série promovidos deste 2015 estão hospedados neste link. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail cealedebate@gmail.com ou pelo telefone (31) 3409-5334.

(Com Assessoria de Comunicação do Ceale)

Categorias: UFMG

Fapemig seleciona propostas de apoio à publicação de periódicos científicos

4 horas 54 minutos atrás

A Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) vai apoiar periódicos científicos institucionais com recursos da ordem de R$ 2 milhões. A iniciativa abrange publicações de todas as áreas do conhecimento, mantidas e editadas por instituições de ciência e tecnologia (ICTs) sediadas no estado e cadastradas na Fundação.

Serão contratadas propostas com valor aprovado igual ou superior a R$ 5 mil. As candidaturas deverão ser apresentadas como projetos e enviadas em formato eletrônico, por meio do Sistema Everest. As submissões serão recebidas até as 17h do dia 15 de maio.

Outras informações podem ser solicitadas pelo e-mail ci@fapemig.br e também estão disponíveis na chamada da Fapemig.

Categorias: UFMG

Liga Acadêmica da Enfermagem promove mesa-redonda sobre empoderamento feminino

4 horas 55 minutos atrás

Presença feminina na política e violência contra a mulher serão alguns dos temas abordados na mesa-redonda A luta das mulheres: Empoderamento, identidade e relações de gênero, que será realizada no auditório Maria Sinno da Escola de Enfermagem, na segunda, 27, às 17h. O evento é promovido pela Liga Acadêmica Integrada de Cuidados às Crianças, Adolescentes e Mulheres (Laiccam).

A mesa será formada pelas professoras Érica Dumont Pena, da UFMG, que vai abordar questões de gênero e empoderamento, Poliana Pereira dos Santos, da PUC Minas, que vai falar sobre a presença da mulher na política, e pela servidora do Tribunal de Justiça de Minas Gerais Giselle Siqueira Costa, a quem caberá o tema da violência contra a mulher e da Lei Maria da Penha.

O procedimento de inscrição inclui preenchimento de formulário on-line.

(Com Assessoria de Comunicação da Escola de Enfermagem)

Categorias: UFMG

Pós-graduação em Estudos do Lazer seleciona candidatos para mestrado e doutorado

4 horas 58 minutos atrás

A Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) recebe inscrições, até 17 de abril, para os cursos de mestrado e doutorado em Estudos do Lazer, para ingresso no primeiro semestre de 2017.

São oferecidas 19 vagas para o mestrado e 13 para o doutorado, que abrigam estudos relacionados a três linhas de pesquisa: Lazer e sociedade; Lazer, história e memória; Lazer, formação e políticas públicas.

O Programa de Pós-graduação em Estudos do Lazer (PPGEL) é o primeiro focado nesse tema, no país, e oferta o único curso de doutorado na América Latina dedicado a conhecimentos sobre a área.

As inscrições são efetuadas na secretaria do Colegiado do Programa, na EEFFTO, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h.

Os editais de seleção para o mestrado e para o doutorado estão disponíveis na internet. Mais informações sobre os processos seletivos podem ser obtidas pelo telefone (31) 3409-2335 e pelo endereço eeffto-mlazer@ufmg.br.

(Com Assessoria da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional)

Categorias: UFMG

Banda de acid jazz se apresenta no Conservatório nesta quinta

5 horas 10 segundos atrás

Marcos Bellusci

Banda Conecto: inspirações do jazz tradicional e apelo dançante

A edição de hoje do projeto Palco Livre, do Conservatório UFMG, recebe a banda mineira Conecto, que apresentará repertório autoral com toques de soul, funk e hip-hop, além de música eletrônica e batidas de loop. O show começa às 20h, com entrada gratuita.

No repertório preparado para o espetáculo, intitulado Night club, o grupo de acid jazz tocará temas do EP autoral In groove, lançado em 2015, além de composições inéditas que farão parte do seu primeiro álbum, também chamado Night club, e que está em fase final de produção.

O som da banda é inspirado em nomes como Jamiroquai, Liquid Soul, Miles Davis e Four80East. Além da variedade melódica, harmônica e de improvisações do jazz tradicional, os músicos apostam também no apelo dançante da mistura de ritmos.

Conecto é formada por Senilo Dutra (contrabaixo), Fabiano Zan (saxofone), Pedro Moreira (bateria), Eduardo Toledo e Thiago Victor (guitarras).

O Conservatório UFMG fica na Avenida Afonso Pena, 1.534, centro de Belo Horizonte.

(Com Assessoria de Comunicação do Conservatório UFMG)

Categorias: UFMG

Secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte se diz "surpreso e encantado” com estrutura do CTE

qua, 22/03/2017 - 16:58

EEFFTO

Luiz Lima, com Joanna Maranhão: 'gostaria que tivéssemos várias UFMGs pelo país'

O ex-nadador e atual secretário de Alto Rendimento no Ministério do Esporte, Luiz Lima, conheceu, na manhã desta quarta-feira, 22, o Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG. Ele elogiou a infraestrutura do local e o trabalho desenvolvido no Centro.

Luiz Lima afirmou que o CTE é um grande centro olímpico de treinamento. “Estou encantado. Gostaria que tivéssemos várias UFMGs pelo país, pois poderíamos alcançar resultados mais significativos para o esporte”, disse Lima.

O diretor do CTE e professor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional
(EEFFTO) da UFMG, Luciano Sales Prado, guiou a visita, acompanhado do diretor da Escola, Sérgio Teixeira da Fonseca, e do vice-diretor, Herbert Ugrinowitsch. Luiz percorreu as dependências de treinamentos, conversou com docentes e profissionais que atuam no CTE e também com atletas que treinam no local, como a nadadora Joanna Maranhão e o judoca Luciano Corrêa.

Luciano Prado destacou que a visita de um gestor do esporte de alto rendimento evidencia que o centro de treinamento já é uma referência nacional. “Estamos nos tornando prioridade no atendimento dos governo federal e estadual, e isso é muito importante para que a UFMG".

Sérgio Fonseca comentou que a visita de Luiz Lima representa mais que uma prestação de contas por parte do CTE. “Ele está aqui para ver o resultado de todos os investimentos feitos no projeto de incentivo que mantemos há quatro anos com o Ministério do Esporte. É também oportunidade de darmos um retorno à sociedade”, disse o diretor da EEFFTO.

Após assistir a uma apresentação sobre todos os projetos do CTE, o secretário fez questão de nadar no parque aquático. Além da equipe de apoio do secretário, também integrou a comitiva a gestora do Instituto César Cielo, Flávia Cielo, mãe do nadador César Cielo.

Antes de conhecer as instalações do CTE, Luiz Lima foi recebido pelo reitor Jaime Ramírez em seu gabinete.

Assista ao vídeo produzido pela TV UFMG durante a visita:

(Com Assessoria de Comunicação da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional)

Categorias: UFMG

Proposta de reforma é desmonte amplo e profundo da Previdência, afirmam representantes dos trabalhadores e da OAB

qua, 22/03/2017 - 15:40

A proposta de reforma da Previdência Social contida na PEC 287 equivale a um desmonte amplo e profundo do sistema, que prejudica todos os trabalhadores brasileiros. A afirmação do economista Frederico Melo, do Dieese e da CUT, feita na manhã desta quarta, 22, no auditório da Reitoria, sintetiza a posição dos debatedores de seminário sobre o tema promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino (Sindifes). O evento contou também com exposições da presidente da CUT em Minas Gerais, Beatriz Cerqueira, do advogado Bruno Reis Figueiredo, da OAB-MG, e do presidente do Sindifisco-MG, Lindolfo Fernandes.

Bruna Lagge / Sindifes

Para Frederico Melo, o termo reforma não é adequado para denominar a proposta do governo, uma vez que não promove melhorias nem garante sustentabilidade do sistema da previdência. “As mudanças propostas dificultam o acesso, reduzem o tempo ou o valor de todos os benefícios. Em alguns casos, será negado o direito e à previdência e à assistência garantidos pela Constituição de 1988”, disse.

Segundo Melo, algumas características de reforma que tramita no Congresso Nacional são a equiparação das regras do regime geral (INSS) e dos regimes próprios de Previdência (de União, estados e municípios) e o fato de que ela afeta mais as mulheres, os trabalhadores rurais e os professores da educação básica. “Muitas pessoas têm dificuldade de atingir os 15 anos de contribuição exigidos hoje, e a proposta fixa em 25 anos o tempo mínimo”, ressaltou o técnico do Dieese. Isso vai excluir parcela ainda maior da população, sobretudo profissionais como empregadas domésticas e operários da construção civil, que deixam de contribuir por causa da situação de informalidade e do desemprego.”

Frederico Melo, que apoiou sua explanação em uma série de dados e exemplos, destacou ainda que pensões e benefícios de prestação continuada passariam a valer menos que o salário mínimo e que regras para determinados grupos, como os deficientes, poderão ser definidas em legislação posterior, o que significaria “um cheque em branco para o governo”.

Ele mostrou que os servidores públicos perdem a paridade e a integralidade dos vencimentos na aposentadoria, a não ser que caiam em regras de transição – que beneficiam os mais velhos e com mais tempo de vínculo. Destacou também que o novo limite mínimo de idade (65 anos) pode ser elevado, pois estaria atrelado ao aumento da longevidade da população brasileira. “A proposta define regras rígidas e iguais para situações de vida e trabalho desiguais. Ela desestimula a adesão à previdência pública e a fecundidade, o que mina sua sustentabilidade e favorece a previdência privada”, afirmou Frederico Melo.

Bruna Lagge / Sindifes

Mudanças estruturais
Beatriz Cerqueira, da CUT, afirmou que a reforma da previdência é parte de uma estratégia mais ampla de mudança do Estado brasileiro, com a revisão das políticas públicas, sob o argumento de que “as pautas por mais direitos quebraram o país”. “Como a elite não quer pagar a conta, o sacrifício fica com o trabalhador, e o que é público é desconstruído como ineficaz e corrupto”, disse.

Para a professora e sindicalista, chegou ao fim um período de conciliação de classes – em que “os bancos lucraram como nunca e os trabalhadores tiveram ganhos reais” – e um sistema político de coalizão. Ela ressaltou que a luta contra a reforma da previdência não deve ser vista como isolada, uma vez que, segundo ela, se pode esperar a privatização do SUS, das estatais, da educação. “Estamos vivendo um estado de exceção, com falsa sensação de normalidade, ditado por um governo sem legitimidade, com altos índices de desaprovação popular”, completou Beatriz Cerqueira.

Bruna Lagge / Sindifes

‘Negociado sobre o legislado’
Bruno Figueiredo, da OAB, chamou a atenção para mudanças recentes na legislação, como a que trata de negociações coletivas, para basear sua afirmação de que estão em andamento reformas destinadas a “aniquilar” os direitos dos trabalhadores. “A PEC 287 não é mera reforma, ela significa o fim da previdência social para a grande maioria das pessoas. “E foi feita sem uma avaliação do tamanho do buraco, se é que ele existe. O objetivo é aumentar o caixa, mantendo o privilégio de poucos”, disse.

Movido pela convicção de que aquilo que o governo trata como modernização é, na verdade, retrocesso, Figueiredo alertou também para a tendência de mudanças trabalhistas, com base na ideia de que “o negociado prevalece sobre o legislado”. “Principalmente as classes de trabalhadores menos organizadas não terão direitos básicos respeitados pelos sindicatos
patronais”, comentou o advogado, que preside a seção sindical da OAB em Minas Gerais.

Lindolfo Fernandes, do Sindifisco, apresentou dados sobre a previdência com o objetivo de esclarecer a polêmica sobre os critérios utilizados para classificar o sistema como deficitário ou superavitário.

Na abertura do seminário, a coordenadora geral do Sindifes, Cristina Del Papa, comentou a decisão anunciada ontem pelo governo de retirar os servidores estaduais e municipais do escopo da reforma. “O objetivo é dividir os servidores públicos", afirmou, acrescentando que é preciso ser seletivo no consumo de notícias sobre assuntos como a PEC.

A pró-reitora adjunta de Recursos Humanos, Leonor Gonçalves, que representou a Reitoria, salientou que a proposta de reforma implica “riscos para a educação e o serviço público” e conclamou os presentes a conversar com os colegas e aumentar a mobilização contra a proposta. A mesa de abertura contou ainda com a participação de Rosangela Costa, da CUT-MG

Foca Lisboa / UFMG

Rosangela Costa, Cristina Del Papa e Leonor Gonçalves: riscos para a educação e o serviço público

Categorias: UFMG

Feira Universitária do Livro deverá receber cerca de 10 mil pessoas na Praça de Serviços

qua, 22/03/2017 - 09:57

TV UFMG
>

Continua nesta quarta-feira, na Praça de Serviços, a 8ª edição da Feira Universitária do Livro, promovida pela Editora UFMG. O evento, que termina amanhã, 23, reúne editoras de todo o país para venda de títulos com descontos de até 40% em relação ao preço de capa. A feira está aberta ao público, das 9h às 19h. Mais de 30 mil exemplares serão disponibilizados para a comercialização, informa reportagem da TV UFMG que pode ser assistida no vídeo acima.

Além da Editora UFMG, estarão representadas as editoras Autêntica, Cia das Letras, Zahar, Editora 34, Contexto, Editora LPM, Gustavo Gili, Cortez, Editora C/Arte, Contraponto, Edusp, Exitus, Expressão Popular, Fino Traço, Intersaberes, Lexicon, Mazza, Nandyala, Oficina de Texto, Editora PUC Minas, Relicário, Revan, Editora do Sesc, Editora da Universidade Federal do Paraná, Unesp e Unicamp.

Os organizadores esperam receber um público de cerca de 10 mil pessoas.

A programação desta quinta-feira prevê, a partir das 13h30, o lançamento do livro Musicalização na escola regular: formando professores e crianças, de autoria das professoras da Escola de Música Patrícia Furst Santiago e Betânia Parizzi. Na ocasião, as autoras vão ministrar palestra interativa com o tema A música é para todos.

A Praça de Serviços da UFMG fica no campus Pampulha, na Avenida Antônio Carlos, 6627. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail imprensa@editora.ufmg.br.

Foca Lisboa / UFMG

Feira fica aberta ao público das 9h às 18h

Categorias: UFMG

Proposta para as novas Normas Gerais de Graduação será apresentada nesta sexta-feira

qua, 22/03/2017 - 06:42

Foca Lisboa / UFMG

Novas normas integram projeto de reestruturação da graduação, tema de reunião pública realizada em maio do ano passado

A versão preliminar das novas Normas Gerais de Graduação será apresentada para a comunidade acadêmica nesta sexta-feira, 24, no Auditório do Centro de Atividades Didáticas 1 (CAD1), no campus Pampulha, a partir das 14h. O anteprojeto, sistematizado pela Pró-reitoria de Graduação, foi elaborado com base em discussões conduzidas na Câmara de Graduação, que incorporou sugestões encaminhadas por coordenadores de curso, diretores de unidades e docentes. O texto pode ser consultado neste link.

As Normas Gerais de Graduação abordam os principais aspectos do funcionamento do ensino de graduação, incluindo temas gerais – como criação ou extinção de cursos e estrutura dos currículos – e assuntos relacionados com os procedimentos da gestão cotidiana do ensino, como matrícula, avaliação do rendimento escolar e processos de transferência e reopção. O texto em vigor é datado de 1990, e a previsão é de que as normas atualizadas possam ser adotadas já na matrícula do primeiro semestre de 2018.

O pró-reitor de graduação, Ricardo Takahashi, e o pró-reitor adjunto, Walmir Caminhas, afirmam, em convite enviado à comunidade, que as novas "normas possivelmente estabelecerão as bases da organização de nosso ensino de graduação para as próximas décadas". Assim, acrescentam eles, "vimos estimular a participação de todos nesse esforço institucional de formulação de novas normas. Que elas não sejam apenas gerais e consistentes, mas principalmente que sejam adequadas para orientar os rumos futuros de nossa graduação".

As sugestões da comunidade universitária podem ser enviadas até o dia 28 de abril para o e-mail normasgrad@prograd.ufmg.br.

O trabalho de elaboração da proposta começou em abril de 2016. A partir de então, a proposta foi discutida em fórum on-line, na plataforma Moodle. Essa etapa do processo envolveu cerca de 500 pessoas da comunidade acadêmica.

Próximos passos

28 de Abril:: Data-limite para envio de sugestões pela comunidade.

Maio de 2017: Previsão de prazo para deliberação pela Câmara de Graduação

Junho de 2017: Previsão de prazo para deliberação pelo Cepe

Categorias: UFMG

Ministro Luís Roberto Barroso, do STF, vai ministrar aula magna na Faculdade de Direito

qua, 22/03/2017 - 06:34

Arquivo pessoal

O ministro Luís Roberto Barroso [foto], do Supremo Tribunal Federal (STF), vai ministrar a aula magna da Faculdade de Direito, nesta quinta, 23, a partir das 20h30. Ele abordará o tema Democracia, direitos fundamentais e papéis do Supremo Tribunal Federal.

Constitucionalista reconhecido na área acadêmica, Barroso é professor titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e professor visitante da UnB. Fez conferências em universidades como a de Wroclaw, na Polônia, e a de Poitiers, na França. Em 2011, foi visiting scholar na Universidade de Harvard (EUA). Procurador do Estado do Rio de Janeiro, ele ingressou no STF em 2013.

Defesa de direitos
Em entrevista ao Portal UFMG, em novembro de 2014, o ministro Luís Roberto Barroso tratou de temas que se aproximam da abordagem prometida para a aula magna. Afirmou que “o Supremo tem desempenhado papel importante na defesa de direitos fundamentais em questões como as uniões homoafetivas e a possibilidade de interrupção da gestação de fetos anencefálicos". Ressalvou, contudo, que o Supremo poderia ter avançado mais nessa matéria: "Ele deveria ter afirmado o direito fundamental da mulher à sua liberdade reprodutiva. Mas essa é uma discussão mais complexa, que precisa ser travada mais adiante”.

Ainda segundo o ministro, a Corte “fez muito bem ao legitimar as pesquisas com células-tronco embrionárias. A demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol foi também uma decisão importante. O Supremo assegurou o direito de greve no serviço público, sanando omissão de longa data. Houve também decisões importantes em favor dos consumidores nas relações com os bancos”.

Leia a entrevista na íntegra.

Categorias: UFMG

Aula de Fernando Haddad na Escola de Arquitetura será transmitida pela internet

qua, 22/03/2017 - 06:31

Heloisa Ballarini / Secom

Haddad foi ministro da Educação e prefeito da maior cidade da América Latina

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, vai ministrar nesta quarta, 22, a partir das 10h, a aula inaugural do primeiro semestre letivo da Escola de Arquitetura. A atividade, programada para o saguão do prédio da Unidade (Rua Paraíba, 697, Savassi), terá transmissão ao vivo pela internet.

Durante a conferência, Haddad abordará sua experiência política como gestor da cidade de São Paulo nos últimos quatro anos. Ele acaba de reassumir suas atividades acadêmicas como professor do Departamento de Ciência Política da USP.

Categorias: UFMG

Evento que discute software livre e educação a distância recebe inscrições de professores

qua, 22/03/2017 - 06:28

Professores do ensino superior com interesse em atividades virtuais e em discussões sobre o meio acadêmico, educação a distância e acesso a novas tecnologias poderão se inscrever, até o dia 31 deste mês, no UEADSL (Universidade, Educação a Distância e Software Livre) 2017/1, evento on-line e assíncrono que reunirá, de 19 a 23 de junho, conferências e apresentações de trabalhos curtos.

As inscrições, gratuitas, deverão ser feitas pela página do evento, na aba “Inscreva-se”.

Nesta edição, o congresso continua a explorar o grande tema Diversidades, mas traz uma novidade: retomando sua proposta original, o evento voltará a ser exclusivo para professores e seus respectivos alunos.

Os docentes que se inscreverem poderão adotar a participação de sua turma no UEADSL 2017/1 como tarefa avaliativa, contando com o suporte dos organizadores da iniciativa durante todo o processo.

Entre as atividades que serão desempenhadas pelos estudantes inscritos, estão a elaboração de minicurriculos, e redação de um artigo final, de 4 a 6 laudas, sobre algum dos temas correspondentes às linhas temáticas da edição ou escolhido pelo professor.

Cada uma dessas tarefas é corrigida pelos corretores do grupo Texto Livre da Faculdade de Letras, responsável pela promoção do evento em parceria com o Centro de Apoio à Educação a Distância da UFMG (Caed/UFMG) e com a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis.

Habilidades
Para os professores, o evento representa oportunidade para discussão de temas de seu interesse e para aproveitar o envolvimento de seus alunos no congresso como atividade avaliativa da disciplina. Os alunos, por sua vez, poderão exercitar habilidades desenvolvidas no processo de elaboração de trabalhos científicos, como a pesquisa e a redação acadêmica.

Os autores de artigos receberão certificados de participação emitidos pela Fale e pelo Caed/UFMG. Os trabalhos vão integrar os anais da edição, que serão publicados no Portal de Periódicos da Faculdade de Letras da UFMG.

Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail ueadsl.sec@textolivre.pro.br.

(Com Assessoria de Comunicação do Caed)

Categorias: UFMG

Marx, Benjamin e Ricoeur terão obras abordadas em curso de introdução à hermenêutica jurídica

qua, 22/03/2017 - 06:21

Estão abertas até sábado, 25 de março, as inscrições para o curso de extensão Introdução à hermenêutica jurídica contemporânea, coordenado pelas professoras Maria Helena Damasceno e Adriana Goulart de Sena, da Faculdade de Direito. Destinada a alunos de graduação e pós-graduação, professores ativos e aposentados, servidores técnico-administrativos e ex-alunos, a formação será ministrada por Marco Antonio Casanova, professor associado do departamento de Filosofia da Uerj.

Domínio público / Wikimedia Commons
Com 30 vagas, o curso, dividido em módulos, terá quatro encontros presenciais e abordará teóricos como Karl Marx, Walter Benjamin [foto ao lado], Martin Heidegger, Hans-Georg Gadamer e Paul Ricoeur. As aulas serão realizadas nos dias 28 de abril, 5 e 26 de maio e 30 de junho, das 16h às 22h, no Instituto de Hermenêutica, Teoria e Argumentação Jurídica (Sala 405 da Faculdade de Direito)

Os interessados devem se inscrever por meio deste link. O custo é de R$ 455, que poderá ser dividido em duas vezes, com o pagamento da primeira parcela de R$ 273 no ato da inscrição e o restante 30 dias depois.

A Faculdade de Direito da UFMG fica na Avenida João Pinheiro, 100, Centro.

Categorias: UFMG

Músicos improvisam e fazem declamação filosófica da obra de Wittgenstein, no Centro Cultural

qua, 22/03/2017 - 06:19

O projeto Música & Poesia, do Centro Cultural UFMG, recebe hoje, a partir das 20h, a declamação poético-filosófica Rascunho para “Da certeza”, que une trechos selecionados da obra do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein, articulados por sons humorados, tradução e comentários musicais sobre a prática da improvisação experimental.

Fabiana Leite
A apresentação, gratuita, será conduzida pelos músicos Henrique Iwao e Matthias Koole. Iwao é responsável pela declamação, autoria de textos, música incidental (que acompanha uma peça teatral ou outra produção, proporcionando ambiência para as cenas), além da percussão, dos efeitos sonoros eletrônicos e dos orgânicos. Koole [à esquerda, na foto ao lado] comanda a improvisação livre usando guitarra elétrica e dispositivos eletrônicos como pedais de efeitos.

Ludwig Wittgenstein foi um dos principais responsáveis pela chamada "virada linguística" da filosofia no século 20. Legou contribuições nos campos da lógica e das filosofias da linguagem, da matemática e da mente. Na obra Da certeza, organizada postumamente por meio de notas de aula tomadas por seus alunos e escritos do próprio autor, Wittgenstein discorre sobre seu ceticismo e questionamentos sobre os fundamentos do conhecimento.

Os músicos
Henrique Iwao é formado em Composição pela Unicamp, com mestrado em Musicologia pela USP. Foi educador na Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia e integrante do núcleo de música experimental Ibrasotope, responsável pela organização do Festival Internacional de Música Experimental em São Paulo. Atualmente, integra o selo Seminal Records, especializado em produções de música eletroacústica, eletrônica, improvisação livre e música conceitual.

Violonista, guitarrista, intérprete, trilhista e improvisador, Matthias Koole cursa doutorado na UFMG. Foi membro fundador do quarteto de guitarras Zwerm, músico convidado nos grupos Ensembles Ictus e Nadar, ambos na Bélgica, e Cairn (França), nas orquestras Brussels Philharmonique e Luxembourg. Foi residente em Stuttgart, Alemanha, da Akademie Solitude, instituição de artes que funciona como plataforma para intercâmbio de artistas estrangeiros.

Desde 2013, Iwao e Koole organizam o Quartas de improviso, que já proporcionou 87 encontros de improvisação entre músicos e artistas de várias áreas, como dança, performance e literatura. Eles também tocam juntos no grupo Infinito Menos.

O Centro Cultural UFMG está localizado na Avenida Santos Dumont, 174, no entorno da Praça da Estação.

Categorias: UFMG

Duo de piano e oboé interpreta obras de Hermeto Pascoal e Bela Bartok na Série VivaMúsica

qua, 22/03/2017 - 06:15

Victor de Mello Lopes

Trecho de apresentação gravada pelos músicos

A Série VivaMúsica, da Escola de Música da UFMG, recebe hoje, a partir das 18h30, o Duo Árvore de Dois, integrado pelo pianista Rafael Macedo e pelo oboísta Victor de Mello Lopes. O concerto, que será realizado no auditório Fernando de Mello Vianna, é desdobramento da pesquisa dos músicos sobre essa formação pouco usual – oboé e piano.

O repertório da dupla busca promover o diálogo entre obras de compositores ligados ao universo do jazz e da música popular, como Hermeto Pascoal e Pixinguinha, e músicos eruditos como o romantista alemão Robert Schumann e o húngaro Béla Bartók.

Formado em Educação Artística e professor de Musicalização, Criação e Prática em Conjunto na Fundação de Educação Artística, Rafael Macedo gravou seu primeiro disco autoral, Quase em silêncio, em 2009, com o grupo Pulando o Vitrô. Por duas vezes, venceu o Prêmio BDMG Instrumental (2006 e 2013) e, em 2010, juntamente com o grupo qUEbRApEdRA, foi agraciado com o Prêmio Circuito Funarte de Música Popular. Já trabalhou com Hermeto Pascoal, Uakti, Kristoff Silva, Juliana Perdigão, entre outros artistas, e como arranjador de discos de grupos de destaque da nova geração como Graveola e o Lixo Polifônico.

Victor de Mello Lopes é bacharel em Oboé pela UFMG e realizou parte de sua formação musical na Fundação de Educação Artística. Atuou como oboísta na Orquestra Sinfônica da UFMG, de 2006 a 2010, e como primeiro oboé da Orquestra Sinfônica Jovem do Palácio da Artes, em 2009. Foi o oboísta da Orquestra Casa dos Carneiros, encarregada de realizar a pré-estreia da Ópera Cenas Brasileiras, de Elomar Figueira Mello. Apresentou-se com grandes nomes da música brasileira, como João Bosco, Flávio Venturini, Ana Carolina e Toninho Horta. É o idealizador do grupo Choros de Câmara e professor de Prática Instrumental em Grupo na Escola Livre de Artes.

Categorias: UFMG

Danni Ribeiro faz show de samba, jazz e blues na Praça de Serviços

ter, 21/03/2017 - 12:00

Divulgação
O projeto Quarta Doze e Trinta recebe amanhã, 22, na Praça de Serviços, o show Meu caminho, da cantora e compositora Danni Ribeiro [foto]. Ela sobe ao palco às 12h30 para interpretar parte do repertório que será incluído em disco com lançamento previsto para meados deste ano. A entrada é gratuita.

Meu caminho foi idealizado para comemorar os 15 anos de carreira da cantora, iniciada aos 13 anos. No show, que narra a sua história no mundo da música, ela apresenta repertório que transita entre o samba, o jazz, o blues e a MPB e inclui, além decomposições próprias, releituras de canções que a influenciaram.

Cantora, professora e compositora, Danni Ribeiro participou de shows importantes em Minas, entre eles, o Festival de Comida de Boteco (2011), como backing vocal de Beth Carvalho e Affonsinho, e o musical Nos amamos a Clara, no Festival Clara Nunes (2010), realizado na cidade de Caetanópolis.

Como professora de canto, leciona na escola Celinha Braga Oficina de Música e ministra um curso de canto on-line que já conta com mais de 600 mil visualizações.

Conheça mais o trabalho da cantora em sua página no Facebook.

Categorias: UFMG

Dupla celebra parceria entre Baden Powell e Vinícius de Moraes no Quarta Cultural

ter, 21/03/2017 - 11:50

Jocelito Camargo / divulgação

A edição desta semana da série Quarta Cultural vai promover apresentação do duo Alma e Raiz, formado pela cantora Glaw Nader e pelo violonista Wagner Raposo. Amanhã, 22, a partir de meio-dia e meia, a dupla fará o show Afro-sambas – Tempo de amor. A apresentação homenageia o disco Os afro-sambas, parceria do poeta Vinícius de Moraes com o violonista carioca Baden Powell, tido como um dos mais importantes da música popular brasileira. A entrada é gratuita.

Gravado em 1966, Os afro-sambas é o marco da parceria Baden-Vinicius, que já somava mais de 25 músicas na época. Para Nader e Raposo, a técnica modal empregada no violão de Baden e a força do ritmo dos cantos do terreiro – que discorrem sobre o amor, a existência e os orixás, unidos à poesia de Vinicius – tornam o disco uma "obra-prima musical e mística, à qual é impossível ficar imune".

Inspirados por esse disco, considerado por muitos críticos como um divisor de águas para a visibilidade da música negra no período pós-bossa nova, o Duo Alma e Raiz se debruçou sobre o tema, pesquisando o samba, sua história e resistência, até chegarem a Bahia e os terreiros de candomblé.

O show exalta a música dos terreiros e rodas de capoeira da Bahia e a ancestralidade do povo negro. Embalados pelo ritmo africano do ijexá (sub-gênero presente em outros mais conhecidos como o afoxé), a dupla também apresenta em seu repertório canções de nomes ligados à tradição da música africana no Brasil, como João Nogueira e Paulo César Pinheiro.

O Conservatório UFMG fica na Avenida Afonso Pena, 1534, Centro.

Categorias: UFMG

Fernando Haddad fala de sua experiência como gestor público em aula inaugural na Arquitetura

ter, 21/03/2017 - 06:42

Heloisa Ballarini / Secom

Haddad foi ministro da Educação e prefeito da maior cidade da América Latina

Nesta quarta-feira, 22, a partir das 9h30, o professor do Departamento de Ciência Política da USP e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, vai ministrar a aula inaugural da Escola de Arquitetura da UFMG. Ele falará de sua experiência política como gestor da capital paulista nos últimos quatro anos.

“Nossa expectativa é que ele descreva os desafios de gerir a maior cidade da América Latina”, afirma o professor Maurício Campomori, diretor da Escola de Arquitetura.

Campomori destaca que Haddad foi convidado para falar sobre a política e a gestão pública na perspectiva de alguém que sempre foi acadêmico: “Não podemos esquecer que, paralelamente à sua trajetória política, Haddad é professor do Departamento de Ciência Política da USP”. Haddad retornou à USP na última quinta-feira, 16, quando ministrou sua primeira aula após encerrar seu mandato à frente da Prefeitura de São Paulo.

O evento terá lugar no saguão do prédio, com transmissão para um telão no auditório da Unidade.

Categorias: UFMG

Páginas