Notícias da Capes

Subscrever feed Notícias da Capes
Visa a melhoria da pós-graduação brasileira, através de avaliação, divulgação, formação de recursos e promoção da cooperação científica internacional.
Atualizado: 2 horas 9 minutos atrás

Edição temática da Revista Brasileira de Pós-graduação está disponível para consulta

ter, 21/03/2017 - 19:09

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) informa que a 32ª edição da Revista Brasileira de Pós-Graduação (RBPG) está disponível para consulta no site da revista.

Com uma edição especial intitulada “Ecossistemas brasileiros: potenciais de desenvolvimento”, esta edição da revista dedica-se à reflexão sobre as potencialidades dos ecossistemas existentes no Brasil para o desenvolvimento nacional, com o intuito de proporcionar ao leitor uma amostra da variedade de enfoques e pontos de vista que o tema vem merecendo na atualidade, devido a sua fundamental importância.

Os 12 artigos integrantes da edição congregam diálogos sobre teorias, conceitos e práticas relacionados tanto a biodiversidade como a sociodiversidade, nas seguintes linhas temáticas:

• Desenvolvimento econômico e ecossistemas brasileiros;
• Coexistência de ambientes naturais e ambientes agrícolas nos ecossistemas brasileiros;
• Ecossistemas e a recuperação dos recursos hídricos;
• Ecossistemas brasileiros e materiais não convencionais para a construção civil;
• Segurança hídrica e sustentabilidade em regiões semiáridas;
• Urbanização, dinâmica demográfica e desenvolvimento regional nos ecossistemas brasileiros;
• Qualidade de vida e ambiental nas cidades;
• Produção de conhecimento sobre o uso sustentável dos ecossistemas brasileiros: aplicações e políticas públicas;
• Formação de recursos humanos e uso sustentável da biodiversidade nos ecossistemas brasileiros;
• Papel das ciências ambientais para proteção e uso sustentável dos ecossistemas brasileiros;
• Papel da pós-graduação na conciliação entre desenvolvimento econômico e conservação da biodiversidade.

A edição nº 32 também chama atenção pelo caráter multi e interdisciplinar dos trabalhos publicados, realçando a importância da aproximação de diferentes campos do saber para a produção de conhecimentos sobre as relações entre o homem e o meio ambiente.

Acesse aqui a revista.

RBPG
Lançada em agosto de 2004, a RBPG é voltada à divulgação de estudos, experiências e debates sobre a pós-graduação, sua situação, desafios, políticas e programas. De periodicidade quadrimestral, está estruturada em quatro seções: Estudos, Experiências, Debates e Documentos. O envio de artigos pode ser feito durante todo o ano.

Com uma média de 15 mil acessos por trimestre, a revista firmou-se como um importante veículo para a disseminação de estudos e debates sobre a pós-graduação. A cada número, são tratados temas variados como características da formação pós-graduada em várias modalidades, política da pós-graduação, demandas da comunidade científica e ações das agências de fomento. A RBPG desempenha ainda o papel de instrumento privilegiado para o estudo de temas referentes à colaboração científica internacional.

A publicação é disponibilizada para todas as bibliotecas e vários centros de informação do país e do exterior, além de se encontrar disponível no portal da Capes.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Aberta consulta pública para identificar melhorias no portal da CAPES

ter, 21/03/2017 - 13:13

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) abre nesta terça-feira, 21, consulta pública, por meio de formulário eletrônico, para identificar melhorias no portal www.capes.gov.br, a principal fonte de informações da agência. Essa medida tem como objetivo facilitar a navegação dos usuários. Com a ampliação das ações da instituição desde o Decreto nº 6.316/2007, que instituiu a “Nova CAPES”, a instituição passou a executar um número maior de programas e a disposição das informações na página foram sendo incluídas conforme entendimento das áreas técnicas. Em 2017, em conformidade com as políticas de transparência pública e orientada pela Lei de Acesso à Informação, a CAPES quer saber dos usuários como melhorar a divulgação das informações.

A consulta ficará disponível até o dia 31 de março.

Acesse o formulário e participe!

Categorias: Pesquisa

CAPES disponibiliza aplicativo com dados de programas de pós-graduação

seg, 20/03/2017 - 14:03

Está disponível para download de forma gratuita na Apple Store (IOS) e Google Play (Android) o aplicativo Sucupira – Pró Reitor, voltado para atender os pró-reitores das instituições de ensino superior (IES) do Brasil, permitindo que tenham acesso a dados institucionais preenchidos pelos coordenadores de programas da pós-graduação (PPGs) de suas IES. É uma aplicação de acompanhamento do preenchimento das informações do Sistema Nacional de Pós-graduação (SNPG), que permite acesso a dados de discentes, docentes, produções intelectuais, entre outras informações utilizadas na avaliação dos cursos de pós-graduação das IES as quais os pró-reitores são responsáveis.

Pelo aplicativo, também podem ser realizadas buscas rápidas por PPGs, obtidas informações estatísticas, verificadas pendências de desativação de curso ou programa, mudança de área básica ou de nome de curso, propostas de cursos novos, início de funcionamento de cursos ou mudança da data de início de cursos.

Mais APPs
Também disponível para download, o aplicativo .periodicos. permite que o usuário tenha acesso ao acervo do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Pelo aplicativo é possível realizar buscar rápidas por assunto, periódico, base e livro; acessar remotamente via Comunidade Acadêmica Federada (café); navegar em websites referenciados pelos resultados de busca; ler os artigos, salvar os artigos em formato PDF em sua biblioteca; buscar e adicionar como favoritos os artigos salvos na biblioteca; criar notas e etiquetas para os artigos; editar notas e etiquetas; compartilhar notas; armazenar notas no Evernote; visualizar os destaques do Portal de Periódicos da CAPES.

Outros aplicativos destinados a bolsistas e à comunidade em geral estão em fase de desenvolvimento.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Fórum de coordenadores UAB promove palestra sobre direitos autorais

qui, 16/03/2017 - 17:11

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Fórum Nacional do Sistema da Universidade Aberta do Brasil (ForUAB) promoveram na tarde desta quarta-feira, 15, uma palestra sobre direitos autorais e Recursos Educacionais Abertos (REA). O evento faz parte da programação da 5ª Reunião Extraordinária do ForUAB.

O especialista em direitos autorais do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio), Sergio Branco, abordou o impacto e importância das licenças para uma educação aberta. Para Branco, a discussão deve levar em conta a natureza específica do direito autoral, que é um bem imaterial. “Quando chega a Internet e o mundo se digitaliza, a indústria cultural perde seu principal pilar, que é o controle por meio da cópia. No mundo online não é preciso mais do suporte – livro, disco, DVD – já que tenho acesso à essência – o texto, a música, o filme. É com relação a esses bens que tenho que desenvolver uma nova política de direito autoral, que permita o acesso nesse novo mundo conectado”, definiu.

Para o diretor do ITS Rio, é preciso ter em mente que desde o começo da década de 2000 há uma nova forma de produção de conhecimento, cujas redes sociais são a nova face. “São plataformas de produção e difusão de conhecimento. E não é a proteção ao direito que gera a produção. A produção cultural existe mesmo sem proteção do direito autoral, cuja primeira lei data do século XVIII”, enfatiza.

Para Sergio, é importante que uma lei de direito autoral, se baseie numa distinção de categorias entre Profissionais, Amadores e Acadêmicos. “Cada uma dessas classes tem expectativas e interesses diferentes com relação às obras. Eu, como acadêmico, quero que minha obra circule, mesmo que gratuitamente, e que essa circulação gere outros ganhos.”

A partir dessa premissa, o professor apresentou os limites da atual legislação brasileira sobre o tema. “A lei de direitos autorais é de 1998, a partir de uma convenção do século XIX, atualizada pela última vez nos anos 70. Tudo isso antes da internet. Assim, obviamente, é uma legislação que não pode dar conta do mundo que vivemos e, por isso, vemos tantos impasses no Brasil e no mundo.”

Como exemplo, a lei atual permite a cópia de pequenos trechos para uso privado, mas não há definições estritas para isso. “A legislação não permite cópia integral, permite apenas citação de trechos. Um soneto é uma obra completa, como estudar literatura assim?”, provoca.

Sergio Branco acredita que a licença Creative Commons (CC) pode se configurar como uma possível solução para esses impasses. São seis tipos diferentes de licença, com diferentes formatos, que permitem a distribuição com ou sem uso comercial, com ou sem modificação. Estima-se que há mais de um bilhão de obras licenciadas em CC no mundo.

Recursos Educacionais Abertos
O professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Tel Amiel realizou uma apresentação sobre os resultados preliminares da pesquisa sobre Recursos Educacionais Abertos (REA) na Universidade Aberta do Brasil. O trabalho realizado em parceria com a CAPES enviou formulários sobre o tema para quem compõe (ou compôs no passado) os quadros do sistema Universidade Aberta do Brasil.

A pesquisa indicou que pelo menos metade dos participantes já se sente a vontade para ensinar sobre Recursos Educacionais Abertos. A variedade sobre a ordem de preferência das licenças de direitos autorais também reforçam que é preciso uma gama de escolhas de licenças para atender quem está produzindo material didático para a UAB.

Os formulários indicam ainda a vontade de uso de software livre, a expectativa por elaboração em conjunto de materiais, assim como o desejo pelo incentivo de reuso de ferramentas educacionais da própria UAB. Amiel adiantou ainda que a equipe de trabalho está em processo de finalização de um curso sobre Educação Aberta e REA, que será oferecido via Universidade Aberta do Brasil. O relatório final da pesquisa deve ser divulgado ainda no próximo mês.

ForUAB
Desde dezembro de 2012, o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) conta com o Fórum Nacional de Coordenadores com a finalidade de apoiar e subsidiar a Diretoria de Educação a Distância da CAPES. O Fórum atua na formulação de diretrizes, definição de critérios técnicos e pedagógicos, parâmetros e demais ações no âmbito do Sistema UAB. O grupo é constituído por coordenadores UAB das instituições de ensino superior integrantes da UAB. Os membros do Fórum Nacional de Coordenadores UAB elegem entre si um presidente e dois vice-presidentes para mandato de doze meses,

UAB
Criada em 2005, o sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) é um sistema integrado por universidades públicas que oferece cursos de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária, por meio do uso da metodologia da educação a distância. O público em geral é atendido, mas os professores que atuam na educação básica têm prioridade de formação, seguidos dos dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica dos estados, municípios e do Distrito Federal. Hoje, o Sistema é coordenado pela Diretoria de Educação a Distância (DED) da Capes.

Além de coordenar o Sistema UAB, a DED/CAPES é responsável pela gestão do Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Educação Básica (PROEB). Atualmente, são ofertados mestrados profissionais em rede nacional no formato semipresencial voltados a professores da educação básica nas áreas de: Matemática (Profmat); Letras (Profletras); Ensino de Física – MNPEF (ProFis); Artes (ProfArtes); e História (ProfHistória). Também são ofertados neste mesmo formato os cursos em Administração Pública (ProfiAP) e em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua).

(Pedro Arcanjo)

Categorias: Pesquisa

Programa apoia 16 projetos de mestrados profissionais na área de Enfermagem

qua, 15/03/2017 - 15:26

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulga nesta quarta-feira, 15, o resultado preliminar do edital n° 27/2016, que apoia programas de pós-graduação da área de Enfermagem na obtenção de recursos de custeio. Ao todo, 16 projetos foram selecionados, com temas como “Sistematização da assistência de enfermagem no ensino na saúde: propostas de inovação e intervenção no processo de enfermagem no âmbito do SUS” e “Tecnologia e inovação na formação do enfermeiro do século XXI com ênfase na sistematização da assistência de enfermagem”.

O Apoio a programas de pós-graduação da área de enfermagem é uma parceria com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e apoia cursos na modalidade mestrado profissional, com nota CAPES igual ou superior a 3, vinculados a instituições de ensino superior públicas ou privadas sem fins lucrativos.

Benefícios
O edital destina recursos da ordem de R$ 3,5 milhões, provenientes do orçamento do Cofen, conforme acordo de cooperação estabelecido entre as partes. Serão selecionadas propostas que receberão R$ 25 mil por aluno, sendo metade do recurso estimado para 2017 e a outra metade para 2018, mediante a comprovação de conclusão dos alunos, para utilização como recurso de custeio. Entre os itens financiáveis estão aquisição de material de consumo, passagens aéreas para mobilidade de docentes e contratos de manutenção e prestação de serviços técnicos.

Acesse o resultado e saiba mais sobre o Programa.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Programa de apoio a eventos está com inscrições abertas até 31 de março

ter, 14/03/2017 - 14:49

Estão abertas, até 31 de março, as inscrições para a chamada pública no âmbito do Programa de Apoio a Eventos no País (PAEP), com objetivo de selecionar propostas para apoio financeiro à realização de eventos científicos, tecnológicos e culturais de curta duração no país, com envolvimento de pesquisadores, docentes e discentes dos programas de pós-graduação. Esta chamada atenderá os eventos previstos para o período de 1º de agosto de 2017 a 31 de janeiro de 2018.

O valor total do recurso a ser distribuído para os eventos aprovados para essa chamada pública será de R$ 20 milhões. Por meio do repasse, a CAPES pretende apoiar a divulgação da produção científica, tecnológica e cultural, incentivando a inovação e a geração de conhecimentos, de parcerias e de produtos; promover a melhoria da qualidade da produção científica e tecnológica nacional; apoiar eventos que fortalecem a cooperação destinados à pós-graduação e parceiros internacionais; e incentivar a participação de professores e alunos de pós-graduação.

Em 2016, o PAEP apoiou 1501 eventos, somando um investimento total de R$ 34.675.738,77.

Inscrições
As propostas devem observar as condições estabelecidas no Edital, que determina os requisitos relativos aos proponentes, às condições do evento, suas alterações, aos critérios e parâmetros de análise técnica e análise de mérito, ao processo de homologação e concessão dos recursos financeiros, à utilização dos recursos repassados e prazo de vigência e ao procedimento de prestação de contas.

As inscrições deverão ser exclusivamente por meio de sistema eletrônico, em formulário específico disponível na página da CAPES. O resultado final está previsto para ser divulgado em julho deste ano.

Acesse o Edital.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Edital seleciona projetos para intercâmbio científico entre Brasil e França

seg, 13/03/2017 - 15:43

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulga nesta segunda-feira, 13, o Edital nº 4/2017, referente ao programa CAPES/Cofecub, que seleciona projetos conjuntos de pesquisa para fomentar o intercâmbio entre instituições de ensino superior e institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento públicos brasileiros e franceses, com objetivo de estimular o intercâmbio científico entre Brasil e França e a formação de recursos humanos de alto nível nos dois países.

Inscrições
Os projetos que atenderem aos requisitos descritos no Edital deverão ser inscritos exclusivamente pela internet, mediante o preenchimento do formulário de inscrição e o envio de documentos eletrônicos até o dia 23 de maio, na página do Programa. A candidatura no Brasil deverá ser apresentada em português. A proposta em francês deverá ser encaminhada pela equipe francesa para o link disponibilizado para este fim pelo Cofecub. O resultado está previsto para ser divulgado em dezembro.

Serão selecionados até 30 projetos conjuntos de pesquisa para início das atividades a partir do ano de 2018 nas diversas áreas de conhecimento, mediante decisão conjunta entre as agências financiadoras e disponibilidade orçamentária e financeira da Capes. Cada proposta deverá conter planejamento de atividades em módulos anuais, considerando a duração máxima de financiamento dos projetos de 4 anos. A vigência do segundo biênio do projeto está condicionada à aprovação de relatório parcial de atividades, das prestações de contas anuais, do plano de atividades atualizado para os dois últimos anos e à disponibilidade orçamentária das agências financiadoras.

Benefícios
São itens financiáveis no âmbito do programa: missões de trabalho, recurso para material de consumo e serviços de terceiros, conforme especificados no Edital, levando-se em consideração o valor limite de até R$ 140 mil. Também estão previstas missões de estudos aos projetos selecionados, nas modalidades doutorado sanduíche e pós-doutorado.

Acesse o Edital completo.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Vídeo aborda programa de expedição em águas profundas

sex, 10/03/2017 - 16:30
{youtube}7jjOwRkrNBg{/youtube}

Nesta semana, a TV NBr gravou um vídeo sobre o Programa IODP (International Ocean Discovery Program), que tem como objetivo científico investigar a história e a estrutura da Terra a partir do registro de sedimentos e rochas em águas profundas dos oceanos; e sobre a Expedição 376 - Brothers Arc Flux, que está com inscrições abertas até o dia 1º de abril.

Para atingir seus objetivos, o programa utiliza tecnologias de perfuração oceânica como instrumento essencial para coleta de amostras, que permitem o levantamento de dados e contribuem para o alcance de novas descobertas sobre o sistema Terra. O programa reúne parte significativa da comunidade científica atuante nas ciências do mar em águas profundas de diversos países.

O sistema de perfuração é apoiado por um parque analítico a bordo do Navio de Pesquisa JOIDES Resolution, composto por equipamentos de última geração voltados a pesquisa geofísica, geoquímica, microbiológica e paleoclimática. Além da infraestrutura a bordo, o IODP conta com apoio de numerosas instituições de pesquisa e formação de recursos humanos nos diferentes países que atualmente compõem o Programa.

Desde 2013, o Brasil, por meio de financiamento viabilizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (CAPES), é membro do consórcio JOIDES Resolution e colabora com o Programa IODP.

Categorias: Pesquisa

Bolsista publica artigo em revista internacional

qui, 09/03/2017 - 15:09

Após realizar a pesquisa de pós-doutorado com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Portugal, Almira Alves, teve um artigo resultante de seus estudos publicado na Revista Lusófona de Educação. “A publicação internacional em uma revista com Qualis A1 significa o reconhecimento da qualidade do artigo por meus pares. Reconhecimento este que se transforma numa maior divulgação do conteúdo produzido entre os pesquisadores da área, do meu ambiente de trabalho e da instituição de ensino superior (IES) da qual faço parte”, orgulha-se Almira.

O artigo “Educação em saúde: um mapeamento dos estudos produzidos no Brasil e em Portugal (2000-2013)” foi resultado da pesquisa com o mesmo título realizada no pós-doutorado, no período de março de 2014 a fevereiro de 2015. Em sua pesquisa, Almira fez um levantamento de estudos científicos publicados em revistas de referência em Portugal e no Brasil sobre Programas de Educação para a Saúde no período 2000 -2013 e quais os temas ou domínios abordados nas pesquisas selecionadas. “Dentro desse contexto, a pesquisa pôde ressaltar a baixa quantidade de programas e projetos elencados no levantamento, pois ainda não atendem à demanda das principais causas de mortalidade nem morbidade, ficando por saber se existe a falta de programas ou se é baixa a produção científica que relate ou mesmo avalie esses programas, dificultando a socialização do conhecimento”, explica.

Experiência
Almira conta que a experiência do pós-doutorado fortaleceu sua identidade como educadora e pesquisadora e contribuiu para a tomada de decisões mais assertivas e potencialmente indutoras de sucesso. “Ter tido a possibilidade de me dedicar integralmente aos estudos e à pesquisa por um ano foi uma das experiências mais gratificantes, pois o foco fica mais direcionado e as ações mais precisas e enriquecedoras. Durante esse período pude conhecer diversas IES na Europa e perceber as diferentes formas de fazer ensino superior em suas várias atuações, inclusive a pesquisa. Envio meus agradecimentos, em especial, ao prof. Antonio Duarte Teodoro, meu orientador, e à profa. Sandra Queiroz, co-orientadora. Foi uma experiência singular”, resume.

Para o futuro, a pesquisadora pretende intensificar as pesquisas na área do ensino na saúde e dedicar-se ao mestrado em Ensino na Saúde e Tecnologia oferecido pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), IES à qual Almira é vinculada e cuja coordenação compete a ela. “Desejo produzir mais e melhor, além de juntar esforços para a estruturação de mais um mestrado na área de ensino.”

UNCISAL
Além da publicação do artigo em uma revista de alta relevância, o pós-doutorado de Almira rendeu outros frutos. A pesquisadora e docente da UNCISAL, e agora coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde e Tecnologia da instituição, diz que a experiência no pós-doutorado foi fundamental para que a universidade tivesse aprovada sua primeira pós-graduação stricto sensu. “Desde 2005, quando ingressei na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), apliquei meus conhecimentos e esforços em prol do fortalecimento da educação em saúde, estruturando o curso de especialização na área e a oferta da disciplina tanto obrigatória como eletiva. Depois disso, a UNCISAL já havia apresentado quatro APCNs e não havia aprovado nenhum. Quando da solicitação da bolsa à CAPES, minha proposta contemplava, então, a estruturação de um mestrado na instituição. Minha experiência no pós-doutorado, por meio da participação em bancas de defesa de doutorado, de mesas de discussão, grupos de pesquisa, congressos, seminários, conferências, comissão organizadora de encontro científico e visitas técnicas a centros de pesquisa, além do dia-a-dia na universidade e a exposição a uma cultura diferente, foram determinantes para uma visão mais ampla e assertiva e serviram como combustível para impulsionar a minha determinação em congregar todos os elementos necessários para estruturar e apresentar à CAPES um APCN de qualidade, alcançando assim a meta, com êxito na aprovação do curso”, conta.

A aprovação do mestrado profissional em Ensino na Saúde e Tecnologia da UNCISAL foi publicada em 5 de janeiro deste ano, após a 169ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES).

(Natália Morato)

Categorias: Pesquisa

Comissão discute situação da pós-graduação na região Norte

qui, 09/03/2017 - 13:42

Foi realizada nesta terça-feira, 7, na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) a primeira reunião da Comissão dos Reitores da Região Norte, instituída pela Portaria n°25, de 7 de fevereiro de 2017, com o objetivo de propiciar meios às instituições de Ensino Superior e Pesquisa da Amazônia Legal, de mantê-las atualizadas e competitivas na pesquisa, na pós-graduação e na inovação.

Na ocasião foram apresentadas séries históricas relacionadas ao número de programas, formação de mestres e doutores e à produção científica. “Precisamos de informação, dados novos e atualizados. Com isso em mãos, conseguimos começar a discutir estratégias de ação”, esclareceu Manoel Santana, servidor da CAPES. Manoel citou ainda o acesso ao Portal de Periódicos como grande aliado na elevação da qualidade dos cursos de pós-graduação.

Já a Diretora de Relações Internacionais da CAPES, Concepta Pimentel, ressaltou a importância da definição por parte das universidades de planos de internacionalização concretos, que definam suas estratégias, parceiros, competências e áreas. “A internacionalização tem uma relevância fundamental na melhoria da qualidade para todos os envolvidos no processo. Por exemplo, 63% dos pesquisadores brasileiros nunca saíram do país. O impacto da produção desse grupo é 24% abaixo da média mundial e eles são 40% menos citados, enquanto os que têm experiência no exterior têm o dobro de impacto da média mundial”, explicou.

Comissão
A portaria atribui ainda ao grupo a função de propor meios de se implementar as recomendações contidas no Plano Nacional de Pós-graduação 2011-2020, que tratam de ações que visem diminuir as assimetrias regionais; de propor ações complementares que assegurem melhores condições para a execução da metas do PNPG e a apresentação de um balanço das propostas do PNPG no que se referem às assimetrias da região Norte.

Participaram também da reunião, representando a CAPES, o Diretor de Programas e Bolsas no País, Geraldo Nunes, presidente da Comissão, e a Diretora de Avaliação da CAPES, Rita Barata.

(Gisele Novais)

Categorias: Pesquisa