Notícias da Capes

Subscrever feed Notícias da Capes
Visa a melhoria da pós-graduação brasileira, através de avaliação, divulgação, formação de recursos e promoção da cooperação científica internacional.
Atualizado: 3 horas 12 minutos atrás

Conselho Técnico-Científico discute novas ações para a educação básica

sex, 26/05/2017 - 19:11

No dia 16 de maio, o Conselho Técnico-Científico da Educação Básica (CTC-EB) reuniu gestores de entidades educacionais na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para discutir o estado atual das ações para a formação de professores da educação básica e apresentar novas diretrizes.

 

A reunião contou com a presença da presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, que apresentou ações de avaliação da educação básica. A secretária-executiva do Ministério da Educação (MEC), Maria Helena Guimarães de Castro, abordou a atual política de formação de professores do MEC.

No âmbito da formação presencial de professores, foram anunciadas medidas de ajuste das ações atuais. Os principais programas, Parfor [Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica] e Pibid [Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência], devem ganhar novos regulamentos no segundo semestre de 2017 e focar na Base Nacional Comum Curricular e na reforma do ensino médio. Outros objetivos são a ampliação da articulação entre entres federativos, de modo a evoluir o protagonismo das redes locais. A avaliação dos programas será continuada, em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Também estiveram presentes na reunião representantes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), além dos diretores de Educação a Distância (DED) e de Formação de Professores da Educação Básica (DEB) da CAPES.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

CAPES divulga lista de inscritos para o Seminário de elaboração de propostas de cursos novos

sex, 26/05/2017 - 14:38

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulga nesta sexta-feira, 26, a lista dos participantes do Seminário DAV de elaboração de propostas de cursos novos (APCN), que acontecerá no auditório da CAPES, no dia 7 de junho.

Como anunciado anteriormente, o aceite de inscrições ficou limitado ao número de 150 vagas preenchidas por ordem de chegada da inscrição à caixa de e-mail seminarios@capes.gov.br.

Como o número de inscrições ultrapassou sobremaneira o número de vagas, e com o intuito de atender a expectativa de participação a um número maior de instituições de ensino superior, foi limitado a três o número de inscritos por instituição.

A CAPES informa, ainda, que a homologação dos nomes divulgados na presente lista será feita mediante o envio, para o e-mail seminarios@capes.gov.br dos nomes completos dos inscritos acompanhados dos respectivos CPF até o dia 29 de maio, segunda-feira. Este envio deverá ser feito exclusivamente pela pró-reitoria (ou instância equivalente) e limitar-se ao número de vagas reservado, conforme a lista, a cada IES. Isto se torna fundamental como forma de confirmar a participação e agilizar a entrada no edifício da CAPES (3º subsolo – entrada lateral do prédio). Após a confirmação das inscrições, se ainda houver vagas, divulgaremos lista complementar no dia 30 de maio.

Conforme divulgado em nota do dia 22 de maio, haverá transmissão ao vivo do evento. O link de acesso à transmissão online será disponibilizado antes do evento, em nota na página inicial do Portal da CAPES.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Competição de drones premia professores e alunos do ensino médio

sex, 26/05/2017 - 13:04

A equipe DronFly, do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), foi a vencedora da 1ª Fórmula Drone, concurso de robôs voadores controlados a distância, realizado com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O torneio aconteceu de 19 a 21 de maio no campus da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), em Minas Gerais, e reuniu 12 equipes formadas por estudantes e professores de ensino profissional técnico de nível médio de escolas públicas e Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IF) dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

O diretor de Formação de Professores da Educação Básica da CAPES, Marcelo Câmara, explica a importância da realização de eventos desse tipo. “A competição incentiva professores e estudantes a desenvolverem suas habilidades para além da sala de aula, além de mostrar o alinhamento da ação com o propósito da CAPES de promover a formação de professores da educação básica”, afirma o diretor, que entregou o prêmio à equipe vencedora.

Helidesign
A competição Fórmula Drone é o evento culminante do programa Helidesign, apoiado pela Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica da CAPES, e que reúne equipes integradas por até 15 alunos com o objetivo de desenvolver sistemas instalados a bordo de drones, visando o cumprimento de tarefas (ou missões) que constituem um desafio técnico, segundo requisitos detalhados no regulamento da competição. Nos três dias de competição foram avaliados aspectos como qualidade teórica da proposta, desempenho mecânico do protótipo e capacidade de o drone realizar tarefas de maneira autônoma.

Para se habilitar a inscrever um projeto no torneio, professores de ensino profissional técnico de nível médio interessados participaram, em 2016, de um curso de três dias ofertado por alunos de engenharia da Unifei. Em seguida, apresentaram projetos de construção de drones e desenvolveram as máquinas com seus alunos.

“O objetivo do programa é aproximar professores e alunos de uma tecnologia nova, que já tem uma extensa utilidade para a sociedade civil”, afirma Horacio Forjaz, coordenador do projeto. “Essa primeira edição foi realizada em caráter experimental, por isso contou com a participação de apenas três estados. Com o sucesso do projeto, queremos ampliá-lo na edição 2018, de modo a receber professores e alunos de todo o país”, diz Forjaz.

(Lucas Lopes)

Categorias: Pesquisa

Vencedor do Prêmio CAPES/Elsevier pesquisa doenças infecciosas no Brasil

qui, 25/05/2017 - 20:11

Uma parcela importante da população brasileira é afetada pela doença de Chagas. Apesar do impacto econômico, pouca atenção tem sido dada ao financiamento de pesquisas para o tratamento da patologia. “Cerca de 18 milhões de pessoas podem estar infectadas e 30% delas desenvolvem doença cardíaca. Incapazes de trabalhar regularmente com um coração aumentado, cinco milhões de brasileiros ficam fora do mercado por causa da doença”, afirma João Santana Silva, um dos principais pesquisadores de doenças infecciosas do Brasil.

De acordo com Silva, assim como todas as doenças negligenciadas, a de Chagas acomete pessoas pobres, em sua maioria. “As empresas farmacêuticas não estão interessadas, pois não querem vender drogas para pessoas que não têm dinheiro para pagar por elas. Por isso, elas não financiam a pesquisa em tratamentos. Mas há agências de fomento em todo o mundo que querem apoiar nosso trabalho, se mostrarmos que temos uma equipe forte o suficiente.”

Por meio da pesquisa científica, Silva e seus alunos estão ajudando a lançar bases de melhores tratamentos para milhões de pessoas com doença de Chagas. Embora transmitidos por insetos, os protozoários T. cruzi são, com frequência, disseminados por transfusão de sangue infectado e da mãe para o bebê durante a gravidez. O diagnóstico precoce e o tratamento são essenciais para combater o avanço da enfermidade.

“Estamos tentando ensinar as pessoas sobre a doença para que possamos identificar e diagnosticar pacientes. Há muita gente não diagnosticada e não tratada atualmente, o que significa que a doença continua a se espalhar. Precisamos acompanhar esses pacientes para garantir que eles não doem sangue ou órgãos e infectem mais pessoas. Um tratamento eficaz também é vital para parar a transmissão da doença de Chagas”, afirma o pesquisador.

Com uma considerável lista de trabalhos científicos publicados, João Silva destaca o artigo P83. Activity of the a new ruthenium NO donor against Trypanosoma cruzi: trans-[RuCl([15]aneN4)NO]2+, publicado pelo periódico Nitric Oxide (texto completo disponível* para usuários do Portal de Periódicos da CAPES). Outros trabalhos e citações podem ser localizados na opção Buscar assunto do Portal.

Por sua ampla e significativa atuação científica, João Santana Silva foi um dos destaques do Prêmio CAPES/Elsevier 2015. “Ganhar o prêmio foi uma grande honra para mim e o recebi entendendo que foi o reconhecimento de um trabalho dedicado ao longo de muitos anos em prol do ensino e da pesquisa. Além dos trabalhos publicados e das mais de 10 mil citações, levo uma vida dedicada ao ensino, mais diretamente à pós-graduação”, enfatiza.

Silva explica que seria muito difícil desenvolver um trabalho de excelência sem o apoio do Portal de Periódicos: “o Portal é de suma importância para os pesquisadores brasileiros. De fato, essa ferramenta trouxe a possibilidade de competirmos com mais igualdade com cientistas de outros países. O conteúdo é muito atrativo e eu, particularmente, utilizo todos os dias. Temos um divisor muito claro de antes e depois do Portal de Periódicos. Temos que preservá-lo e, sempre que possível, ampliá-lo”.

João Silva estreia a série “Journeys of Perseverance”, editada pela Elsevier, que contará a história de profissionais em todo o mundo que têm iniciativas originais para obter êxito em suas investigações. O episódio está disponível neste link.

Portal de Periódicos
O Portal de Periódicos da CAPES é uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. Ele conta com um acervo de mais de 38 mil títulos com texto completo, 134 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

O Portal foi criado tendo em vista o déficit de acesso das bibliotecas brasileiras à informação científica internacional, dentro da perspectiva de que seria demasiadamente caro atualizar esse acervo com a compra de periódicos impressos para cada uma das universidades do sistema superior de ensino federal. Foi desenvolvido ainda com o objetivo de reduzir os desnivelamentos regionais no acesso a essa informação no Brasil. Ele é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo, pois é inteiramente financiado pelo governo brasileiro. É também a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no planeta, cobrindo todo o território nacional.

Acesse o Portal de Periódicos da CAPES.

(Com informações da Elsevier)

*Verifique o conteúdo do Portal de Periódicos disponível para sua instituição

Categorias: Pesquisa

Bolsista desenvolve trabalho sobre biocombustíveis em parceria com Irlanda

qua, 24/05/2017 - 13:26

O bolsista de pós-doutorado no exterior pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Clelton Santos, finalizou em maio deste ano o estágio pós-doutoral, que promoveu colaboração bilateral entre Brasil e Irlanda, por meio das Universidade de Campinas (UNICAMP) e a National University of Ireland Galway (NUIG).

Durante a estadia na Irlanda, Clelton teve a oportunidade de trabalhar em um centro de excelência na área de Bioquímica Industrial e Bioenergia, o que lhe permitiu desenvolver um trabalho na área de biocombustíveis usando enzimas recombinantes para melhorar a eficiência da degradação enzimática de biomassa. “Meu pós-doutorado teve por objetivo buscar novas alternativas para melhorar a hidrólise enzimática de biomassa vegetal para a produção de bioetanol. Os fungos são excelentes produtores de enzimas (celulases) capazes de converter substratos celulósicos em açúcares livre, que por sua vez, podem ser fermentados visando à geração de etanol. Contudo, ainda não é completamente conhecido o papel/importância de outras proteínas acessórias, envolvidas no processo de sacarificação da celulose”, explica o pesquisador.

Cruzando dados de genômica estrutural e de expressão gênica de um isolado do fungo Trichoderma harzianum linhagem IOC-3844, a pesquisa identificou uma proteína chamada Suolenina (Swollenin, em inglês) que participa ativamente auxiliando a atividade de outras enzimas envolvidas no processo de quebra da celulose. “As Suoleninas têm a capacidade de afrouxar as fibras de celulose, o que faz com que as enzimas que atuam em substratos celulósicos possam acessar tais substratos mais eficientemente, aumentando assim, sua atividade catalítica.”

No estudo, a equipe que Clelton fez parte clonou o gene da proteína em questão em um vetor de expressão e usou a bactéria Escherichia coli para superexpressar a proteína recombinante. “Após a expressão heteróloga em bactéria, a proteína recombinante derivada de T. harzianum foi purificada usando métodos cromatográficos e caracterizada estrutural e funcionalmente. Os resultados do nosso estudo, além de relatarem pela primeira vez a produção de uma Suolenina fúngica, usando um sistema de expressão de proteína procariótico, revelaram o potencial papel sinergístico das Suoleninas na degradação de biomassa”.

Acesse o estudo “Production of a recombinant swollenin from Trichoderma harzianum in Escherichia coli and its potential synergistic role in biomass degradation”.

Publicação e impacto
De acordo com o bolsista brasileiro, os resultados podem contribuir para superação de desafios das biorrefinarias. “Novas alternativas para melhorar a conversão da biomassa e ultrapassar as barreiras físicas e químicas existentes substratos lignocelulósicos, representam um dos principais desafios enfrentados pelas biorrefinarias. Neste contexto, as Suoleninas são aditivos promissores para a suplementação de coquetéis enzimáticos desenvolvidos para a degradação de biomassa. Assim, o nosso estudo acrescenta novos conhecimento a utilização de proteínas acessórias na degradação de biomassa vegetal”, ressalta.

O sucesso do estudo fez com que fosse aceito para publicação em um relevante jornal inglês, Microbial Cell Factories. Clelton destaca a possibilidade de democratização do conhecimento a partir de ações como essa. “A publicação, especialmente em uma prestigiada revista da área, tem um papel preponderante para a divulgação da ciência, além de permitir o estabelecimento de um debate público entre ciência e sociedade. Com o advento das revistas conhecidas como open access, como a que publicamos o nosso estudo, todas as pessoas, incluindo cientistas, educadores, estudantes e leigos, podem ter acesso ao conhecimento científico de ponta. Desta forma, a divulgação cientifica decodifica a informação técnica para que ela possa ser consumida por todos, ao mesmo tempo que serve como um referencial para futuros estudos”, afirma.

Nesse sentido, o pesquisador destaca a elevação da qualidade da pesquisa e ciência brasileiras nos últimos anos. “O Brasil está passando por uma transição muito promissora, no que se refere à qualidade da pesquisa científica feita aqui no nosso país. Diferente do que acontecia há poucos anos, atualmente nós já estamos executando projetos de pesquisa semelhantes aos que são realizados em Universidades renomadas da Europa e Estados Unidos. Contudo, a colaboração com grupos estrangeiros é um ponto extremamente importante para a consolidação de grupos de pesquisa fortes no Brasil. O nosso trabalho, por exemplo, graças à colaboração com o grupo irlandês, adiciona novas informações com relação à produção e aplicação biotecnológica de proteínas recombinantes para a degradação de biomassa vegetal, nos permitindo vislumbrar novas abordagens e futuros projetos na área de biocombustíveis”.

Clelton também posiciona a pesquisa no horizonte do conhecimento ligado à produção ambientalmente sustentável. “O Brasil além de ser líder mundial na produção de etanol, tem se destacado no desenvolvimento de bioetanol de segunda geração, produzido a partir de biomassa residual da indústria de celulose, com especial atenção ao bagaço de cana-de-açúcar. Os nossos esforços se somam com os demais grupos brasileiros que têm trabalhado para que a indústria de biocombustíveis seja uma realidade certa no futuro do Brasil. O mundo pede um novo olhar sustentável com respeito ao meio ambiente e nós estamos tentando acrescentar nesse sentido.”

Experiência no exterior
O bolsista define a possibilidade de viver fora do Brasil e realizar uma pesquisa em colaboração com um grupo no exterior como indescritível. “Você pode ler a respeito de uma cultura, pode conhecer a fundo a história de um povo, porém tudo é diferente quando você está lá vivendo o dia-a-dia com eles. Mais que acrescentar adicionando novas experiências na bagagem profissional, a experiência no exterior traz também profundas positivas transformações pessoais”, comenta.

Clelton também destaca o papel do fomento do Governo Federal em sua pesquisa. “A CAPES teve um papel definitivo para que meu projeto de pós-doutoramento pudesse ser realizado na National University of Ireland Galway (NUIG). O referido projeto é também ligado a um projeto de Biologia Computacional coordenado pela professora Anete P. Souza, da UNICAMP, também financiado pela CAPES, que permitiu que meu projeto fosse inicialmente formulado e a colaboração com o grupo Irlandês fosse estabelecida. Sem o apoio da CAPES nós não teríamos conseguido desenvolver com rapidez e sucesso tal projeto”, ressalta.

Saiba mais sobre o Programa de Pós-doutorado no Exterior. Consulte nesta página outras matérias sobre a atuação de bolsistas da CAPES.

(Pedro Arcanjo)

Categorias: Pesquisa

Inscrições prorrogadas para seleção de projetos científicos entre Brasil e França

ter, 23/05/2017 - 17:49

Foram prorrogadas até 1º de junho as inscrições para o Edital nº 4/2017, referente ao programa CAPES/Cofecub, que seleciona projetos conjuntos de pesquisa para fomentar o intercâmbio entre instituições de ensino superior e institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento públicos brasileiros e franceses, com objetivo de estimular o intercâmbio científico entre Brasil e França e a formação de recursos humanos de alto nível nos dois países. A alteração foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 23.

Os projetos que atenderem aos requisitos descritos no Edital deverão ser inscritos exclusivamente pela internet, mediante o preenchimento do formulário de inscrição e o envio de documentos eletrônicos na página do Programa. A candidatura no Brasil deverá ser apresentada em português. A proposta em francês deverá ser encaminhada pela equipe francesa para o link disponibilizado para este fim pelo Cofecub. O resultado está previsto para ser divulgado em dezembro.

Serão selecionados até 30 projetos conjuntos de pesquisa para início das atividades a partir do ano de 2018 nas diversas áreas de conhecimento, mediante decisão conjunta entre as agências financiadoras e disponibilidade orçamentária e financeira da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Benefícios
São itens financiáveis no âmbito do programa: missões de trabalho, recurso para material de consumo e serviços de terceiros, conforme especificados no Edital, levando-se em consideração o valor limite de até R$ 140 mil. Também estão previstas missões de estudos aos projetos selecionados, nas modalidades doutorado sanduíche e pós-doutorado.

Acesse o Edital completo.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Transmissão ao vivo do Seminário sobre elaboração de propostas de cursos novos

seg, 22/05/2017 - 20:15

Para melhor atender as expectativas da comunidade acadêmica, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) informa que haverá transmissão ao vivo do Seminário “Orientações da DAV para a elaboração de proposta de curso novo” a realizar-se no auditório do Espaço Anísio Teixeira no edifício-sede da CAPES, no próximo dia 7 de junho, nos períodos matutino e vespertino.

O link de acesso à transmissão online será disponibilizado antes do evento em nota na página inicial do Portal da Capes.

A Diretoria de Avaliação (DAV) informa ainda que a lista final dos 150 primeiros inscritos será divulgada também no Portal da Capes no dia 26 de maio, até as 20h. Com base nesta lista, a diretoria solicitará que as pró-reitorias enviem os nomes completos e CPF dos inscritos como forma de confirmar a participação e agilizar a entrada no edifício da CAPES (3º subsolo – entrada lateral do prédio). Se ainda houver vagas, será divulgada lista complementar de inscritos no dia 29 de maio, até às 14h.

Categorias: Pesquisa

CAPES sedia oficina sobre Recursos Educacionais Abertos

seg, 22/05/2017 - 14:57

A Diretoria de Educação a Distância da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (DED/CAPES), em parceria com a Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (SEB/MEC), realizou na sexta-feira, 19, na sede da CAPES, oficina sobre Recursos Educacionais Abertos (REA). O encontro contou com a presença de especialistas em Recursos Educacionais Abertos, Direitos Autorais e Licenças Creative Commons, bem como de representantes de secretarias do MEC, de diretorias da CAPES, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e da Controladoria Geral da União (CGU).

Representando a SEB/MEC, a Diretora de Formação e Desenvolvimento dos Profissionais da Educação Básica, Carmen Moreira de Castro Neves, ressaltou a importância do encontro. “É extremamente relevante que tenhamos uma proposta sólida, enriquecida pela nossa cooperação. Temos que trabalhar unidos, complementando o trabalho um do outro, por meio do diálogo e da escuta”, disse.

REA
O professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Tel Amiel apresentou um histórico da abertura de Recursos Educacionais. “A partir dos anos 2000, começamos a pensar muito na redução de proteção, no sentido de proteção de formatos e licenças, objetivando tirar as restrições que as pessoas têm para interagir com os recursos. Se todo mundo pode produzir, se temos liberdade e dispositivos para produzir, porque essa liberação é tão difícil, porque protegemos tanto as coisas?”, indagou.

Tel Amiel também citou a definição construída com a Unesco e seus pontos principais de análise. “REA são materiais de ensino, aprendizagem e pesquisa em qualquer suporte ou mídia que estão sob o domínio público ou estão licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados e adaptados por terceiros. Nessa definição, as questões operantes são domínio público e licenciados de maneira aberta. Ou seja, com a primeira, temos flexibilidade nos direitos como se fossem permissões para trabalhar. E a segunda, que são os formatos abertos, facilitam o acesso e o meu uso potencial”, explicou.

EduCAPES
O portal compila objetos educacionais abertos para uso de alunos e professores da educação básica, superior e pós graduação que busquem aprimorar seus conhecimentos. O EduCAPES engloba em seu acervo milhares de objetos de aprendizagem, incluindo textos, livros didáticos, artigos de pesquisa, teses, dissertações, vídeo-aulas, áudios, imagens e quaisquer outros materiais de pesquisa e ensino que estejam licenciados de maneira aberta, publicados com autorização expressa do autor ou ainda que estejam sob domínio público.

O acesso aos materiais é feito de forma híbrida: pode ser feito por meio de sincronismo, remetendo a repositórios parceiros ou pela ferramenta busca, que retoma materiais hospedados no próprio portal. A Diretoria de Educação a Distância da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) tem o objetivo de disponibilizar os conteúdos da UAB para toda a população brasileira, considerando que a fonte de recursos é pública e seus produtos devem estar acessíveis a todos os cidadãos.

Acesse o EduCAPES.

Leia também:
Seminário debate Recursos Educacionais Abertos em Santa Catarina
UFSC promove seminário sobre Recursos Educacionais Abertos

(Gisele Novais)

Categorias: Pesquisa

Bolsista desenvolve novas tecnologias para representação geológica

sex, 19/05/2017 - 19:21

A tese de doutorado em Geologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) de Ivaneide Santos desenvolveu novas tecnologias para a representação do inventário de sítios de interesse científico na região do Cânion do São Francisco (Nordeste brasileiro), Fafe e Macedo dos Cavaleiros (Norte de Portugal). A pesquisadora recebeu bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) entre 2015 e 2016 para realizar doutorado-sanduíche na Universidade do Minho.

O trabalho permitiu a integração de uma visita virtual a áreas de interesse geológico, com integração de elementos multimídia. Estes conteúdos podem ser explorados numa plataforma online interativa, onde a reunião de elementos fotográficos, obtidos com veículos aéreos não tripulados (VANTs), imagens panorâmicas a 360º interpretadas, modelos de representação tridimensional, elementos cartográficos e elementos informativos, promovem uma nova forma de representação dos aspectos Geomorfológicos, Geológicos ou do Patrimônio Geológico.

Confira um dos resultados desta investigação, a visita virtual ao Geoparque Terras de Cavaleiros: http://www.dct.uminho.pt/macedo/macedo.html

De acordo com Ivaneide, a representação dos elementos da geodiversidade e do patrimônio geológico têm sido cada vez mais foco de discussões e utilização de novas técnicas. “A última década proporcionou significativos avanços nos mecanismos de coleta de dados georreferenciados, no uso dos sistemas de informações geográficas e das tecnologias da informação e comunicação. Buscando superar estes desafios, a criação de ambientes virtuais surge como uma solução para a democratização do acesso aos conteúdos das geociências e da otimização da apreensão deste conhecimento por parte de diferentes públicos-alvo em diversos níveis”, explica.

A estas tecnologias estão associados vários métodos de obtenção de dados remotos, cujos resultados permitem diversas aplicações científicas e técnicas. “No âmbito científico, a qualidade das imagens é fundamental, pois é esta faculdade que implicará o limite de ampliação do detalhamento das informações ali inseridas. A realidade aumentada quando integrada a conteúdos pode fornecer relevantes funcionalidades de consulta, análise, representação, valorização e divulgação da Ciência, como também de conteúdos didáticos e promocionais”, enumera a bolsista.

A modelagem tridimensional proporciona vários pontos de vista privilegiados, além do detalhamento das feições e da interação proporcionada ao usuário através do computador. “Quando são utilizadas plataformas móveis providas de giroscópios, acelerómetros e GPS (smartphones e tablets), a informação pode ser contextualizada com o local e a navegação automatizada com o movimento do dispositivo, providenciando uma experiência única de interpretação da paisagem através de realidade aumentada. É possível, por exemplo promover a acessibilidade para indivíduos com necessidade especiais ou com escassez de recursos financeiros para visitar presencialmente o local desejado. E ainda, permite àquele que tem a possibilidade de ir ao local, aceder a informações mais detalhadas dos aspectos naturais locais, antes e após a visita”, enfatiza.

Experiência no exterior
A estudante de doutorado define o período na Universidade do Minho, em Portugal, como um divisor de águas na pesquisa. “Quando o Professor Gorki Mariano me desafiou a descobrir novas metodologias de representação e divulgação do patrimônio geológico, de fato proporcionou a busca por novas fronteiras e senti o tamanho do desafio. Na época, ele sugeriu as visitas virtuais e até indicou que eu procurasse o departamento de artes visuais e webdesign”, conta.

Um dos desafios do Grupo de Pesquisas em Geoconservação da UFPE é levar à sociedade o conhecimento voltado às geociências através de uma linguagem acessível, simples e de qualidade. “Mas na verdade, ao me dirigir a estes locais, não encontrei a integração de que necessitava para superar este desafio. Foi mesmo no exterior, depois de ler alguns trabalhos neste âmbito, é que finalmente encontrei na Universidade do Minho o que procurava.”

A bolsista conta que sem o apoio da CAPES teria sido complicado desenvolver esta pesquisa no exterior. “No Brasil, pesquisas neste âmbito ainda são muito incipientes e os recursos escassos. O ano do sanduiche foi fundamental para o desenvolvimento de protótipos e intercâmbio com outros pesquisadores. E mesmo sem recursos, no ano seguinte, retornei ao exterior ao abrigo da co-tutela, entretanto estabelecida entre a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade do Minho, para desenvolver melhor estas novas tecnologias e isto foi decisivo para o aprimoramento das técnicas e produtos”.

Em 2016 foram também desenvolvidos produtos inovadores, baseados no trabalho desenvolvido na tese dos quais, como a construção de uma mesa de projeção 3D interativa e cartografia, com a colaboração com a Spin-Off Geosite.

Impactos e inspirações
Na tese, todas as soluções voltadas para a realidade aumentada foram adequadas à realidade portuguesa. Na impossibilidade de aplicação das soluções produzidas nas áreas de interesse científico no Brasil, foram delineadas como perspectivas algumas ações futuras visando a aplicação soluções multimídia no nosso país. “Estas soluções, inspiraram outros Projetos, tanto no âmbito científico, quanto empresarial, dentre os quais um projeto científico que será desenvolvido pela Universidade de São Paulo, aprovado com os recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), a desenvolver entre os anos de 2017 e 2019, intitulado: O Patrimônio Geológico da região costeira do estado de São Paulo: inventário e valorização com suporte de tecnologias geoespaciais, tendo como pesquisador responsável: Maria da Glória Motta Garcia, do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo.”

Ivaneide aposta no recurso tecnológico com como potencial de democratização científica. “Num país com uma beleza cênica inconfundível como o Brasil, estas tecnologias agregam valor e diminuem fronteiras. A divulgação e a representação virtual de locais de interesse científico e da Geodiversidade ultrapassa as fronteiras espaciais, econômicas e democratização do conhecimento. A quebra do paradigma da dificuldade de acesso de conteúdos didáticos e científicos está associada à forma de divulgação destes elementos. Sendo assim, as novas tecnologias de representação e divulgação não só do patrimônio geológico e da geodiversidade, como também do conteúdo científico como um todo, representa a oportunidade para a comunidade científica de democratizar o acesso ao conhecimento em um Brasil que são vários Brasis com fronteiras econômicas, espaciais e culturais significativas”.

A pesquisadora acredita que o trabalho pode contribuir na construção de uma cultura de preservação e conhecimento geológico. “Ainda há um longo caminho a percorrer até conseguirmos incorporar à matéria legislativa e às práticas sociais a geodiversidade e a Geoconservação diante de medidas protetivas e de adequado manejo dos nossos recursos paisagísticos e geoturísticos. Mas, sem dúvida é preciso começar pelo conhecimento e representação nosso patrimônio natural. É preciso que estes conceitos sejam incorporados e compreendidos pela Sociedade. Nesta construção quero romper fronteiras e quebrar novos paradigmas e agora, com todo este aprendizado poderei repassar a outras pessoas e aplicar no meu país estas novas técnicas e ajudar a valorizar e representar o que Brasil tem de melhor além do seu povo, a grande diversidade natural e paisagística”, conclui a bolsista.

A tese “Recursos interativos online no cânion do rio São Francisco no Brasil e de lugares de interesse geológico em Portugal utilizando Realidade Aumentada” foi realizado sob a supervisão do Dr. Renato Filipe Faria Henriques (Uminho) e pelo Dr, Gorki Mariano (UFPE). A tese deverá ser defendida na UFPE em meados de Junho de 2017.

Consulte nesta página outras matérias sobre a atuação de bolsistas da CAPES.

(Pedro Arcanjo)

Categorias: Pesquisa

Portal de Periódicos disponibiliza conteúdo de editora na área de Ciências Exatas, Engenharias e Saúde

qui, 18/05/2017 - 14:06

O Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) oferece acesso ao conteúdo assinado da Begell House – editora que retém os mais recentes avanços nos campos de ciências térmicas, física, engenharia de fluidos, telecomunicações e ciências biomédicas.

Os usuários da biblioteca virtual da CAPES têm à disposição duas coleções da marca: Begell House Digital Library e Begell House Digital Library II (eBooks).

Na primeira coleção estão disponíveis publicações que tratam de pesquisas científicas e de aplicações práticas nas áreas relacionadas. A plataforma reúne periódicos revisados por pares, bases de dados e obras de referência como catálogos, guias e manuais.

Também é possível localizar na base anais de eventos como o International Centre for Heat and Mass Transfer Digital Library e o Annals of the Assembly for International Heat Transfer Conference. O conteúdo da coletânea contém textos a partir do ano de 1982.
Na biblioteca de livros eletrônicos, estão indexados mais de 150 títulos de e-books distribuídos entre as coleções: clássica; série de Física Termal e Fluida e Engenharia; e série Perspectivas Contemporâneas em Tecnologias Emergentes. As publicações são a partir de 1992.

A Begell House abrange mais de 35 anos de conteúdo profissional e acadêmico, constantemente atualizado para atender às comunidades de ensino e pesquisa.

Portal de Periódicos
O Portal de Periódicos da CAPES é uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. Ele conta com um acervo de mais de 38 mil títulos com texto completo, 134 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

O Portal foi criado tendo em vista o déficit de acesso das bibliotecas brasileiras à informação científica internacional, dentro da perspectiva de que seria demasiadamente caro atualizar esse acervo com a compra de periódicos impressos para cada uma das universidades do sistema superior de ensino federal. Foi desenvolvido ainda com o objetivo de reduzir os desnivelamentos regionais no acesso a essa informação no Brasil. Ele é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo, pois é inteiramente financiado pelo governo brasileiro. É também a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no planeta, cobrindo todo o território nacional.

Acesse o Portal de Periódicos da CAPES.

(Com informações do Portal de Periódicos da CAPES)

Categorias: Pesquisa

CAPES promove evento sobre elaboração de propostas de cursos novos

qua, 17/05/2017 - 20:51

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) promoverá no dia 7 de junho, em Brasília, o seminário “Orientações da DAV para a elaboração de proposta de curso novo”.

O encontro tem como objetivo específico apresentar o processo de avaliação e, com isso, possibilitar uma melhor compreensão dos critérios gerais e da legislação utilizados pelas 49 áreas de avaliação da CAPES e pelo Conselho Técnico Científico da Educação Superior (CTC-ES), que fundamentam a análise das propostas de cursos novos. A intenção é aumentar a eficácia do sistema avaliativo, evitando a submissão de propostas que não atendam a esses critérios.

Busca-se, com esta ação, garantir o padrão de qualidade do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG), potencializando os benefícios que o alto padrão de formação de recursos humanos pode proporcionar ao país.

O evento ocorrerá em um único dia. Para o período da manhã está previsto treinamento voltado para os fundamentos, conceitos e instrumentos presentes na avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu. À da tarde, haverá treinamento operacional para melhor utilização da plataforma Sucupira.

Inscrições
O evento será voltado aos coordenadores das novas propostas a serem submetidas à CAPES no período de 12 de setembro a 20 de outubro de 2017 e estará limitado ao total de 150 vagas preenchidas por ordem de chegada das inscrições à Coordenação dos Órgãos Colegiados (CECOL) pelo e-mail (seminarios@capes.gov.br). No assunto deve constar a frase “inscrição no Seminário APCN”. As inscrições deverão ser feitas pelas Pró-Reitorias, após recebimento do convite, até o dia 24 de maio.

As Pró-Reitorias deverão limitar as inscrições a no máximo 2 participantes por proposta e um total de 6 participantes por instituição de ensino superior (IES). O custo de passagens e estadia fica totalmente a cargo das IES participantes.

A lista final dos participantes será divulgada pela CAPES até o final do dia 26 de maio, na internet.

Poderá haver futuras edições deste evento, de acordo com a demanda e disponibilidade da CAPES.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Inscrições abertas para Prêmio CAPES de Tese 2017

qua, 17/05/2017 - 15:42

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulga nesta quarta-feira, 17, o Edital nº 18/2017, referente ao Prêmio Capes de Tese 2017, que reconhecerá as melhores teses defendidas em 2016.

Criado em 2005, o Prêmio CAPES de Tese é constituído pelo Prêmio CAPES de Tese e o Grande Prêmio CAPES de Tese e é outorgado anualmente em reconhecimento às melhores teses de doutorado aprovadas nos cursos de pós-graduação adimplentes e reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação em cada uma das 48 áreas do conhecimento. Os critérios de premiação deverão considerar: a originalidade do trabalho; sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação; o valor agregado pelo sistema educacional ao candidato. Duas teses em cada uma das áreas também poderão ser agraciadas com Menção Honrosa.

Inscrições
A pré-seleção das teses a serem indicadas ao Prêmio CAPES de Tese ocorrerá nos Programas de Pós-Graduação das Instituições de Ensino Superior (IES). Cada programa de doutorado deverá instituir uma comissão de avaliação para selecionar a tese a ser inscrita, de acordo com os critérios estabelecidos no Edital nº 18/2017. Após a indicação da tese vencedora pela comissão de avaliação, o coordenador do Programa de Pós-Graduação será responsável pela inscrição do trabalho no sistema da CAPES até o dia 30 de junho de 2017. Após avaliação da comissão de premiação instituída pela CAPES, o resultado será divulgado em setembro.

Prêmio CAPES de Tese
O Prêmio consiste em diploma, medalha e bolsa de pós-doutorado nacional de até 12 meses para o autor da tese; auxílio para participação em congresso nacional, para o orientador, no valor de R$ 3 mil; distinção a ser outorgada ao orientador, coorientador e ao programa em que foi defendida a tese; além de passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação, que ocorrerá na sede da CAPES, em Brasília, no dia 7 de dezembro de 2017.

Grande Prêmio
Em parceria com a Fundação Conrado Wessel, o Grande Prêmio é outorgado para a melhor tese selecionada entre as vencedoras do Prêmio CAPES de Tese, agrupadas em três grupos de grandes áreas. Em cada ano, um cientista ilustre, brasileiro ou que se tenha radicado no Brasil, cuja pesquisa se tenha enquadrado no conjunto em que a premiação é concedida, é homenageado em cada uma das grandes áreas. Em 2017, serão homenageados Vital Brazil, na grande área Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e Ciências Agrárias; Casimiro Montenegro Filho, nas Engenharias, Ciências Exatas e da Terra e Multidisciplinar (Materiais e Biotecnologia); e Aurélio Buarque de Holanda, nas Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes e Ciências Sociais Aplicadas e Multidisciplinar (Ensino). Concorrem automaticamente ao Grande Prêmio as teses selecionadas para a atribuição do Prêmio relativo à sua área.

O Grande Prêmio consiste em certificado de premiação, troféu e bolsa de pós-doutorado internacional de até 12 meses para o autor da tese; auxílio para uma participação em congresso internacional, para o orientador, no valor de R$ 9 mil; certificado de premiação ao orientador, coorientador e ao programa em que foi defendida a tese; e passagem aérea e diária para o autor e um dos orientadores da tese premiada para que compareçam à cerimônia de premiação. Pela Fundação Conrado Wessel, são oferecidos três prêmios no valor de U$ 15 mil cada um para cada premiado nas três grandes áreas.

(CCS/CAPES)

Categorias: Pesquisa

Bolsista Costa Marfinense fala sobre experiência em doutorado pleno no Brasil

ter, 16/05/2017 - 14:21

Desde março de 2015, o Costa Marfinense Yéo N’gana realiza, com bolsa concedida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Yéo foi um dos contemplados pelo edital 2014 do Programa Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG), que concede bolsas de doutorado pleno, em instituições de ensino superior (IES) brasileiras, a professores, pesquisadores e graduados do ensino superior de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordo de cooperação.

Graduado em Letras Português e mestre em Literatura da África Lusófona pela Université Félix Houphouët Boigny (UFHB– Abidjan), Yéo explica que seu doutorado trata da história da tradução, abordando as relações de poder no processo de retextualização, literaturas pós-coloniais africanas, interculturalidade e representatividade. “Minha pesquisa é uma tradução comentada de La carte d’identité, do escritor marfinense Jean-Marie Adiaffi Adé, do francês para o português brasileiro. Procuro neste trabalho, além de traduzir, refletir sobre o processo de tradução, sobretudo em uma perspectiva sul-sul. Trata-se, portanto, de uma abordagem ao mesmo tempo histórica (diálogo ex-colônia com outra ex-colônia), social (reflexão sobre as estratificações sociais e linguísticas, conforme aparecem na obra traduzida), antropológica (como a tradução, e, por meio dela, a literatura vêm ajudando a entender o homem, o seu pensamento e a formar a sua visão sobre o mundo) e cultural (como tanto o Brasil quanto a Costa do Marfim vem construindo, a partir do contato com o outro, uma cultura nacional, um ideal coletivo, esse multiculturalismo que presenciamos nos dois países)”.

Segundo Yéo, em sua pesquisa, ele reflete sobre a possibilidade de uma tradução dialógica no âmbito de dar continuidade à visão e ao projeto de Adiaffi, no qual os nomes e expressões em anhi (sua língua) representam marcadores culturais essenciais. “Traduzir é, então, revelar essa diversidade. Enquanto tal, exige, por parte do leitor, um esforço de compreensão ao qual estamos todos convidados. Neste espaço ainda mais escorregadio, espaço de construção social e identitária, faz-se necessário e urgente refletirmos sobre as escolhas tradutórias que fazemos e as teorias de nos servem de guarida conceitual se quisermos evitar genocídios linguísticos, culturais e humanos como aqueles que vivenciamos durante a colonização e no caso do conflito Rwandês”, explicou.

Experiência
Segundo o doutorando, o PEC-PG é um programa de extrema relevância, pois propicia benefícios ao Brasil e aos países pertencentes ao convênio. “O PEC-PG abre janelas para outros mundos. Se por um lado ele torna possível a carreira acadêmica a pesquisadores estrangeiros que, por conta do custo não teriam condições de arcar com seus estudos, por outro ele robustece a presença do Brasil no mundo político, socioeconômico e cultural favorecendo, acima de tudo, a convergência do mundo em direção ao Brasil”, explica.

Para o bolsista, o retorno ao país de origem faz dos pesquisadores embaixadores brasileiros em suas regiões. “Com este programa é possível descontruir estereótipos de um Brasil exótico, composto apenas de carnaval, samba e futebol e mostrar um Brasil onde a cultura e a alegria não impedem o conhecimento. Ao término de nossas pesquisas, somos como embaixadores brasileiros com a função de apresentar um Brasil de inovação, acolhedor e uma futura potência que tem muito a contribuir para um mundo melhor”, disse.

A adaptação ao ambiente de pesquisa é apontada por Yéo como um dos maiores desafios de um pesquisador em sua atuação, razão pela qual ele qualifica sua experiência até o momento como excepcional. “Estou na universidade onde foi criada a primeira pós-graduação na área dos Estudos de Tradução na América do Sul e uma das mais importantes da área do mundo. Além de multidisciplinar e aberto para novas abordagens, o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Tradução (PGET) dá aos alunos uma voz que nem sempre existe na academia, por meio da representação discente junto ao colegiado, debates e incentivos às publicações. Na mesma perspectiva, o programa possui um número extraordinário de eventos nacionais e internacionais com editores, tradutores, escritores/poetas e pesquisadores sobre a tradução que permite ao aluno juntar teoria e prática”

Sugestões
A partir de sua experiência no PEC-PG, o bolsista sugere a inserção de um fluxo bilateral no programa, de modo que pesquisadores brasileiros possam fazer suas pesquisas nos países membros do convênio. “Assim como os alunos e/ou pesquisadores vêm estudar no Brasil, outros estudantes brasileiros poderiam ir nesses países de intercâmbio. É importante destacar que tanto o Brasil quanto os países membros do convênio têm algo para oferecer em termos de conhecimento. As potencialidades que ficam nesses países são enormes e os alunos brasileiros poderiam aprender muito e reproduzi-las no retorno às suas comunidades acadêmicas”.

O doutorando comenta ainda a importância da criação de uma rede de acompanhamento de egressos do programa. “Pelo investimento nessas pesquisas serem de suma importância, seria interessante poder acompanhar a pós-formação, o resultado do investimento. O governo brasileiro poderia renegociar os acordos com as universidades ou assinar novas parcerias engajando as universidades dos países membros do convênio para facilitar a inserção dos alunos bolsistas quando voltarem para seus países de origem. Essa rede de alumni teria uma representação tanto a nível das embaixadas do Brasil no exterior e quanto em suas universidades. Os alunos participariam da preparação dos futuros bolsistas pela troca de experiência e, especialmente, na busca por uma universidade e por um orientador do projeto de dissertação ou de tese”, sugeriu.

PEC-PG
O programa é fruto de parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Ministério das Relações Exteriores (MRE) por intermédio da Divisão de Temas Educacionais (DCE), e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e tem o objetivo de conceder bolsas de doutorado pleno em IES brasileiras a professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior dos países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém Acordo de Cooperação Educacional, Cultural ou de Ciência e Tecnologia visando o aumento de qualificação necessária para que o estudante possa contribuir para o desenvolvimento de seu país.

(Gisele Novais)

Categorias: Pesquisa

Bolsista da CAPES pesquisa benefícios do açaí no tratamento de distúrbio bipolar

seg, 15/05/2017 - 17:28

Os benefícios do açaí vêm sendo explorados nos últimos anos. Por ser rico em proteínas, fibras, lipídios, vitaminas e minerais, o fruto tipicamente brasileiro já foi assinalado como importante para prevenção de doenças como colesterol alto, aterosclerose e até mesmo câncer, além de impulsionar o sistema imunológico de forma geral. Um estudo recém-publicado foi além e definiu o açaí como uma nova esperança para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas.

Os resultados da pesquisa Neuroprotective Effects of Açaí (Euterpe oleracea Mart.) against Rotenone In Vitro Exposure estão disponíveis no Portal de Periódicos da CAPES, na revista científica Oxidative Medicine and Cellular Longevity. Segundo Alencar Kolinski Machado, autor do trabalho, os indicadores sugerem que o açaí pode ser um suplemento alimentar importante para pacientes portadores de distúrbio bipolar.

Machado explica que a matriz química do açaí possui diversas moléculas com potencial antioxidante e anti-inflamatório. “Estudos em idosos ribeirinhos de Maués, no interior do Amazonas, indicam que o consumo habitual de frutos como o açaí poderia contribuir para a desaceleração das disfunções associadas à velhice. Então, nós decidimos avaliar o quanto o extrato do açaí poderia reverter a principal disfunção mitocondrial associada com o distúrbio bipolar”, detalha o pesquisador.

Segundo ele, por meio dos resultados obtidos observou-se que o extrato de açaí foi capaz de prevenir e reverter a disfunção nas mitocôndrias que foram induzidas, de maneira a reestabelecer o funcionamento correto das células. “Um trabalho adicional, que está em fase de publicação, mostrou que o açaí tem um poderoso efeito anti-inflamatório. Este estudo foi feito com células aqui no Brasil e com um peixinho chamado Zebrafish, no Canadá”, comenta Machado.

O trabalho foi desenvolvido durante o doutorado de Alencar Machado que, nesse período, foi bolsista da CAPES. “O estudo fez parte de um projeto coordenado pela professora Ivana da Cruz (Universidade Federal de Santa Maria) e acompanhado também pelo professor Euler Ribeiro (Universidade do Estado do Amazonas), que investiga fatores genéticos e ambientais que influenciam a longevidade das populações amazônicas. Com base nos resultados, vamos implantar estudos pré-clínicos e clínicos com a fruta”, pontua o cientista.

As próximas análises devem inicialmente avaliar o efeito da suplementação do açaí sobre o estresse de indivíduos saudáveis e, posteriormente, o efeito da suplementação em indicadores oxidativos e inflamatórios de pacientes portadores do distúrbio bipolar. Esses estudos serão conduzidos em parceria com diversas universidades e coordenados por Machado, que atualmente é professor adjunto no Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), de Santa Maria.

Alencar Machado frisa que os medicamentos que existem hoje para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas são direcionados apenas para amenizar os sintomas, não existindo ainda nenhum recurso com potencial de eliminar ou reduzir as progressões. “Esse tipo de estudo é essencial para descobrir tratamentos alternativos que possam beneficiar a população acometida por doenças psiquiátricas”.

Para o desenvolvimento do trabalho, o Portal de Periódicos foi item fundamental, atuando, de acordo com o pesquisador, como instrumento de revisão da bibliografia. “O Portal é bastante completo, é uma ferramenta de pesquisa muito boa. Além dos materiais disponíveis, que auxiliam no desenvolvimento de pesquisas experimentais e estudos de revisão de literatura, a organização da página facilita o acesso ao conteúdo disponível de forma rápida e moderna”, destaca.

O pesquisador complementa. “A CAPES me proporcionou uma das maiores experiências que tive como estudante. Por meio da bolsa de Doutorado Sanduíche no Exterior foi possível a realização desse estudo no Departamento de Farmacologia e Toxicologia da Universidade de Toronto, no Canadá”.

(Com informações do Portal de Periódicos da CAPES)

Categorias: Pesquisa

Portal de Periódicos está presente no WRNP 2017

seg, 15/05/2017 - 14:43

Nos dias 15 e 16 de maio, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) promove o 18º Workshop RNP (WRNP), em Belém/PA. Com o tema “25 anos de internet no Brasil”, o evento conta com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que está representada pelo Portal de Periódicos.

No espaço do Portal, os participantes podem coletar informações sobre a biblioteca virtual da CAPES e receber atendimento com a equipe presente. Também é possível acessar o Portal de Periódicos em tempo real por notebook, tablet ou celular – que serão disponibilizados no local – para esclarecer dúvidas sobre o acesso.

Promovido desde 1999, o WRNP tem o objetivo de aproximar o público dos avanços tecnológicos e dos principais tópicos em discussão na área de pesquisa e desenvolvimento de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) dentro e fora do Brasil.

O workshop é realizado junto com o 35º Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos (SBRC), que ocorrerá no Hotel Princesa Louça, em Belém. Os interessados podem se inscrever nos dois eventos ou podem optar em participar apenas do WRNP.

Mais informações aqui.

Portal de Periódicos
O Portal de Periódicos da CAPES é uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. Ele conta com um acervo de mais de 38 mil títulos com texto completo, 134 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

O Portal foi criado tendo em vista o déficit de acesso das bibliotecas brasileiras à informação científica internacional, dentro da perspectiva de que seria demasiadamente caro atualizar esse acervo com a compra de periódicos impressos para cada uma das universidades do sistema superior de ensino federal. Foi desenvolvido ainda com o objetivo de reduzir os desnivelamentos regionais no acesso a essa informação no Brasil. Ele é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo, pois é inteiramente financiado pelo governo brasileiro. É também a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no planeta, cobrindo todo o território nacional.

Acesse o Portal de Periódicos da CAPES.

(Com informações do Portal de Periódicos)

Categorias: Pesquisa

Sai resultado de pedidos de reconsideração de projetos Minter/Dinter 2016

seg, 15/05/2017 - 14:27

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulga nesta segunda-feira, 15, os resultados referentes aos pedidos de reconsideração de projetos de Mestrado e Doutorado Institucionais (Minter/Dinter) nacionais e internacionais, submetidos ao Edital nº 2/2016.

As fichas com os pareceres encontram-se disponíveis na Plataforma Sucupira (acesso mediante senha) apenas às instituições proponentes.

Solicita-se atenção para o roteiro de acesso aos resultados da avaliação dos projetos na Plataforma Sucupira (o link se encontra ao final da planilha de resultados).

Acesse aqui os resultados dos pedidos de reconsideração Minter/Dinter.

Categorias: Pesquisa